Em processo de assentamento, FAMA causa fascínio e é um presente...

Com exposição curada por Aracy Amaral e coleção de vocação pública, Fábrica de Arte Marcos Amaro tem tudo para se transformar numa usina de arte e conhecimento

Bakun e a vida das coisas

Em visita à exposição de Miguel Bakun na Galeria Simões de Assis, em São Paulo, Tadeu Chiarelli rememora seu primeiro contato com a obra do artista
Marcel Giró

A aura, a reprodutibilidade e o vintage

O que diria Walter Benjamin se reaparecesse por aqui? Como reagiria frente à arte e sua reprodutibilidade depois, sobretudo, da internet e dos smartphones?

Aproximações e distanciamentos entre J. Carlos e Mucha na avenida Paulista

Exposições simultâneas do artista brasileiro, no Instituto Moreira Salles, e do tcheco, no Centro Cultural Fiesp, permitem contato com questões fundamentais para as artes gráficas e para a sociedade desde o fim do século 19 até os dias de hoje
tarsila

Os autorretratos de Tarsila, parte II: a imagem “Achiropita”

Após analisar os primeiros autorretratos de Tarsila do Amaral, o crítico Tadeu Chiarelli publica texto em que fala sobre um segundo período do trabalho da artista, em que seus retratos abandonam a referência às “paquitas" espanholas e passam a dialogar com imagens suntuosas da tradição católica

O pantheon dos imortais de São Paulo: delírio tropical no Pátio...

No contexto do debate sobre monumentos polêmicos em praças públicas, o artigo de Tadeu Chiarelli apresenta a ideia extravagante de Adolfo A. Pinto de construir um Centro Cívico no centro de São Paulo para homenagear os antigos e “novos” bandeirantes

De Geiger a Sidney Amaral: o colapso do autorretrato continua

Artistas brasileiros representam corpos para além de um "selfie artístico", buscando reflexões longe da exploração da subjetividade burguesa

João Câmara e a “verdadeira” arte brasileira

Uma visita à exposição do artista no Museu Afro Brasil torna-se importante para todos aqueles que acreditam que a arte politizada deva ser mais política do que arte

“Vocês acham os portugueses brancos?” A arte “afro-brasileira” como construção

“Levando-se em conta o nível de seu alcance historiográfico e crítico, entendi estar frente a um dos principais acontecimentos no campo da história da arte no Brasil dos últimos anos”, escreve Tadeu Chiarelli sobre "Arte afro-brasileira: Altos e baixos de um conceito”, livro de Renato Araújo da Silva; leia a resenha e acesse a obra

Fotografia e modernidade no espelho turvo da literatura. Brasil, séc. XIX

A partir da obra de importantes autores do período, Tadeu Chiarelli destaca referências à fotografia nos romances e como elas refletem as contradições de um país em que conviviam a escravidão e signos explícitos da modernidade
Fale com a gente