Samson Flexor: além do moderno MAM , Parque Ibirapuera - Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° - Vila Mariana, São Paulo - SP, 04094-000
Com curadoria de Kiki Mazzucchelli, a exposição reúne obras da fase tardia do russo Samson Flexor, pintor que viveu um caso de amor com a cidade de São Paulo. Por meio da linguagem abstracionista e temas que transitam entre o etéreo e o corporal, o pintor é reconhecido como pioneiro da tendência abstrata no Brasil. Segundo a curadora Kiki Mazzucchelli, "é a primeira exposição que tem como foco o desenvolvimento da obra de Flexor a partir de 1957, quando passa a rejeitar as formas estáticas em pinturas onde gradualmente predominam o gesto, a opacidade e a transparência."

Funcionamento normal: terça a domingo, das 10h às 18h
Início da mostra: 22 de janeiro
Fim da mostra: 26 de junho
Notícias do Brasil: Carybé, Cícero Dias e Glauco Rodrigues Espaço Cultural Arte Sesc , Rua Marquês de Abrantes 99 – Flamengo – Rio de Janeiro, RJ
Com curadoria de Marcelo Campos e Pollyana Quintella, a exposição é composta por 48 gravuras assinadas por Carybé, Cícero Dias e Glauco Rodrigues, pertencentes à coleção do Sesc RJ. A proposta da mostra é provocar a reflexão sobre a visão identitária que acompanhou o modernismo brasileiro no ano em que se comemora os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922. No conjunto das obras, afirma o curador, é possível perceber um Brasil de forte tradição popular, nas festas, nas relações interétnicas, nas vendedoras de tabuleiro, nas janelas e sacadas dos sobrados coloniais.

Funcionamento normal: Segunda a sábado, das 12h às 19h
Início da mostra: 28 de janeiro, às 17h
Fim da mostra: 30 de abril
#Carybé, #Cícero Dias, #Glauco Rodrigues
O Gênesis segundo Eva Museu de Arte Sacra de São Paulo , Av. Tiradentes, 676 - Luz, São Paulo - SP, 01101-010
Com curadoria de Denise Mattar, a exposição de Eva Soban refaz o percurso dos primeiros capítulos do Gênesis. Com características de um site-specific, a instalação é composta de 15 elementos em formas tecidas e busca instigar uma reflexão sobre a necessidade de enfrentar os desafios e proibições que sempre pautaram as escolhas humanas. 

Funcionamento normal: terça a domingo, das 9h às 17h
Início da mostra: 22 de janeiro
Fim da mostra: 20 de março
Acordelados: Lidia Lisbôa Galeria Millan , R. Fradique Coutinho, 1360 - Pinheiros, São Paulo
Com curadoria de Thiago de Paula Souza, a exposição repassa a trajetória de Lidia Lisbôa desde o final dos anos 1990 até suas investigações mais recentes. A artista trabalha com diversos materiais e técnicas, como desenho, arte têxtil, crochê, performance e esculturas em cerâmica, argila, porcelana e botões. Segundo afirma, “meu trabalho busca evocar a força e o poder do feminino, a potência da mulher como força motriz da significação de sua própria existência no mundo." Suas obras se relacionam com a memória e as experiências que a artista vivenciou em sua infância no campo. Assim como abordam as formas do corpo feminino, o processo da maternidade e as relações que os modos de vida estabelecem com a territorialidade. 

Funcionamento normal: segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 11h às 15h
Início da mostra: 22 de janeiro
Fim da mostra: 19 de fevereiro
#Galeria Millan, #Lidia Lisbôa
Arriba do chão: David Almeida Galeria Millan , R. Fradique Coutinho, 1360 - Pinheiros, São Paulo
Com curadoria de Pollyana Quintella, a mostra reúne pinturas de pequenos e grandes formatos e cerâmicas recém-produzidas por David de Almeida. A pesquisa do artista tem como eixo principal as problemáticas do espaço e do corpo em percurso, explorando a visualidade do território íntimo, da cidade e da paisagem regional brasileira. Almeida engendra os conceitos de memória, corpo, fantasmagoria e percepção óptica, criando telas em que o íntimo de uma cultura ou povo se apresenta de forma sutil pela paisagem.

Funcionamento normal: segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 11h às 15h
Início da mostra: 22 de janeiro
Fim da mostra: 19 de fevereiro
#Galeria Millan
La estatura de la libertad – Jorge Macchi Galeria Luisa Strina , Rua Padre João Manuel 755 Cerqueira César
A individual de Jorge Macchi apresenta um conjunto de obras muito diferentes entre si, sugerindo uma compreensão não monolítica do todo. A exposição propõe uma viagem através de algumas obsessões do artista: a memória, o efêmero, a transparência, o fantasma, o eco, a representação do som, a réplica, a subversão da lógica, a desintegração da imagem. Nas palavras de Macchi, “Minha intenção é que se perceba um rio subterrâneo que passa por todos os objetos, embora eu não possa definir o nome desse rio", declara o artista. 

Funcionamento normal: segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 17h
Início da mostra: 9 de fevereiro, às 10h
Fim da mostra: 19 de março, às 17h
#Galeria Luisa Strina, #Jorge Macchi
J. Borges – O Mestre da Xilogravura Museu de Arte do Rio , Praça Mauá, 5, Centro - Rio de Janeiro
A mostra traz uma coletânea de 40 xilogravuras, sendo 10 obras inéditas, 10 matrizes inéditas e as 20 obras mais importantes da sua carreira, com temas que retratam a trajetória de vida do artista, considerado pelo dramaturgo Ariano Suassuna como o melhor gravador popular do Brasil. José Francisco Borges, o J. Borges, de 86 anos, é Patrimônio Vivo de Pernambuco, título concedido pelo Estado aos mestres da cultura popular pernambucana, reconhecidos como Patrimônio Imaterial. A mostra trará ainda 2 obras assinadas por J. Miguel e Bacaro Borges, filhos e aprendizes do artista, além da exibição de uma cinebiografia sobre vida e obra do artista, assinada pelo jornalista Eduardo Homem.

Funcionamento normal: quinta a domingo, das 11h às 18h
Início da mostra: 22 de janeiro de 2022
#J Borges, #Museu de Arte do Rio
São Paulo, sua, nossa Pauliceia Desvairada, de José De Quadros Galeria Arte132 , Av. Juriti 132 - Moema, São Paulo (SP)
[PRESENCIAL] Individual de José De Quadros busca evidenciar a realidade da capital longe das elites e enfatizar suas pluralidades, com obras repletas de elementos que remetem à periferia e ao entorno do ateliê do artista, localizado no Itaim Paulista, extremo leste da cidade. Por meio de pinturas e desenhos, José ressalta as minúcias do cotidiano, a arquitetura popular, varais, antenas de televisão e fios de alta tensão, uma alusão às questões sociais, políticas e culturais. São 40 obras expostas, que convidam o visitante a conhecer São Paulo a partir da narrativa de quem realmente está inserido na diversidade paulistana.

Funcionamento normal: segunda a sexta, das 14h às 19h. Sábados, das 11h às 17h
Início da mostra: 22 de janeiro
Fim da mostra: 5 de março
#Arte132, #José De Quadros
Os pássaros de fogo levantarão voo novamente. As formas tecidas de Jacques Douchez e Norberto Nicola MAM , Parque Ibirapuera - Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° - Vila Mariana, São Paulo - SP, 04094-000
[PRESENCIAL] A tridimensionalidade une os artistas Jacques Douchez e Norberto Nicola em exposição que propõe uma reaproximação póstuma entre os artistas. A partir de um conjunto de 26 obras em tapeçaria, 13 de cada artista, é possível um resgate dos laços profissionais e afetivos entre os dois amigos, que mantiveram o Atelier Douchez-Nicola, entre 1959 e 1980, mas que não expuseram mais em conjunto após desfazerem a sociedade.

Funcionamento normal: terça a domingo, das 10h às 18h 
Início da mostra: 16 de dezembro de 2021 
Fim da mostra: 13 de março de 2022
A tensão Centro Cultural Banco do Brasil | Rio de Janeiro , R. Primeiro de Março, 66 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20010-000
[PRESENCIAL] Barco e elevador flutuantes, janelas para jardins imaginários e até uma piscina em que o visitante pode entrar de roupa e ficar submerso sem medo de se afogar fazem parte da nova mostra do argentino Leandro Erlich. O título  "A tensão" (e sonoramente ambíguo: quem não lê pode ouvir "atenção"), propõe um dos prováveis sentimentos diante das instalações do artista. Isso porque Erlich trabalha com referências que são, literalmente, "lugares-comuns", espaços que estamos acostumados a ver no dia a dia, mas deslocados da condição de normalidade.

Funcionamento normal: Quarta a segunda, 9h às 20h. O centro cultural fecha às às terças-feiras para manutenção
Início da mostra: 5 de janeiro de 2022
Fim da mostra: 7 de março de 2022
#CCBB, #Leandro Erlich
A máquina do mundo: Arte e indústria no Brasil 1901 – 2021 Pinacoteca , Praça da Luz. 2 11 3324-1000
[PRESENCIAL] Reunindo cerca de 250 obras de mais de 100 artistas, a mostra examina as várias maneiras pelas quais a indústria impacta a produção de artistas no Brasil desde o início do século passado, numa perspectiva inédita sobre os últimos 120 anos da história da arte brasileira. Por um lado, a máquina está associada à noção do próprio trabalho de arte como um aparelho, um constructo. Por outro, a máquina está ligada às fábricas, a esses locais símbolos da modernidade, com trabalhadores concentrados em linhas de montagem, maquinário pesado, produtos processados e de circulação em massa, e que, por tudo isso, definem parte significativa da vida moderna e contemporânea.

Funcionamento normal: quarta a segunda, das 10h às 19h
Início da mostra: 6 de novembro de 2021
Fim da mostra: 21 de fevereiro de 2021
Ìyàmì – Nadia Taquary Galeria Paulo Darzé , Rua Dr. Chrysippo de Aguiar, 8 - Vitória, Salvador - BA
[PRESENCIAL] Imersa num sistema de saberes oriundo de Áfricas pré-coloniais que reverberam a partir da margem americana do atlântico, a artista Nadia Taquary propõe, como conceito central para a criação de sua poética, o “protagonismo do feminino preto” na construção e ordenação de mundos. Na exposição são apresentadas "obras que afirmam o poder mítico e ancestral do feminino responsável pela própria energia geradora da vida. A artista dá visibilidade a um repertório de apurados Ìtàns que revelam as divindades como o maior símbolo do poder feminino na cultura Nagô", escrevem Ayrson Heráclito e Thais Darzé.

Funcionamento normal: segunda a sexta, das 9h às 19h; sábados, das 9h às 13h
Início da mostra: 9 de dezembro de 2021
Fim da mostra: 31 de janeiro de 2021
MAR – Luiz Martins Galeria Base , Av. Nove de Julho, 5593 - Jardim Paulista, São Paulo
[PRESENCIAL] Composta pelas séries "Vestígios Primários", com trabalhos em técnica de têmpera acrílica, e "Mar", com obras que envolvem questões de sustentabilidade e preservação ambiental, "a exposição reúne uma produção que explora uma materialidade pictórica na técnica do desenho e da pintura, compostos por uma rugosidade e um gradil de formas, onde as cores transitam pelo ocre e nas escalas de preto e cinza, que dilatam conceitos etnográficos, antropológicos e políticos de um território marítimo, constituídos por uma fatura linguística e matérica, que são explorados pelo artista", diz a curadora Ana Paula Lopes.

Funcionamento normal: terça a sexta, das 11h às 19h; sábado, das 11h às 15h
Início da mostra: 11 de dezembro de 2021, às 12h
Fim da mostra: 5 de fevereiro de 2022
#Galeria Base, #luiz martins
[PRESENCIAL] Reunindo cerca de 90 obras de clientes do Museu de Imagens do Inconsciente, ao lado de peças de Lygia Clark e Zé Carlos Garcia, fotografias de Alice Brill, Rogério Reis e Rafael Bqueer, vídeos de Leon Hirzsman e Tiago Sant'Ana e aquarelas e fotos de Carlos Vergara, a exposição valoriza a dimensão vanguardista e criativa de uma das maiores cientistas do Brasil, reconhecida internacionalmente. Ao buscar formas de acessar as camadas do inconsciente e criar um diálogo, através de ferramentas artísticas e com aplicações científicas, entre o inconsciente e a sua potente expressão em imagens, Nise reposicionou o entendimento de loucura na história da humanidade.

Funcionamento normal: quarta à segunda, das 10h às 22h, mediante agendamento prévio
Início da mostra: 8 de dezembro de 2021
Fim da mostra: 28 de março de 2022
Ideias – O Legado de Morandi Centro Cultural Banco do Brasil | Rio de Janeiro , R. Primeiro de Março, 66 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20010-000
[PRESENCIAL] Com uma investigação profunda da cor e da luz, Giorgio Morandi se dedicou à pintura de naturezas-mortas, especialmente de conjuntos de garrafas. Seu estilo ficou marcado por uma obra que reflete sobre o tempo e as relações produzidas pelo olhar. Esse universo é representado na exposição, que tem curadoria de Gianfranco Maraniello e Alberto Salvadori e reúne obras que vieram diretamente do Museo Morandi, localizado na cidade de Bolonha, na Itália. 

Funcionamento normal: de quarta a segunda, das 9h às 20h
Início da mostra: 15 de dezembro de 2021
Fim da mostra: 21 de fevereiro de 2022
O condensador de futuros – Lais Myrrha Pinacoteca , Praça da Luz. 2 11 3324-1000
A instalação inédita "O condensador de futuros", de Lais Myrrha, ocupa o Octógono da Pinacoteca. O trabalho, com curadoria de Ana Maria Maia, é constituído de uma grande estrutura côncava que o visitante, ao adentrar, poderá encarar de maneiras diversas: abrigo, armadilha, nave, fundo infinito, entre outros significados. A programação faz parte do Projeto Octógono Arte Contemporânea, que comissiona obras site especific para o local desde 2003.

Funcionamento normal: quarta a segunda, das 10h às 17h30; domingo das 10h às 18h
Início da mostra: 4 de dezembro de 2021
Fim da mostra: 21 de fevereiro de 2022
#Lais Myrrha, #pinacoteca
Quarantine Sesc Ipiranga , Rua Bom Pastor, 822 – Ipiranga
O Sesc Ipiranga exibe a mostra Quarantine, com obras de 31 artistas contemporâneos – de diferentes partes do Brasil – incorporadas ao Acervo Sesc de Arte a partir de iniciativa concebida como resposta aos impactos que o mundo passou a enfrentar diante da pandemia de Covid-19 e, em particular, no campo das artes visuais. Idealizado e coordenado por Cristiana Tejo, Julia Morelli, Lais Myrrha e Marilá Dardot, o projeto – que dá nome também à exposição no Sesc – estabeleceu uma espécie de cooperativa de artistas e disponibilizou suas obras a colecionadores.

Funcionamento normal: terça a sábado, das 10h às 20h; domingo das 10h às 18h
Início da mostra: 8 de novembro de 2021
Fim da mostra: 30 de abril de 2022
#Quarentine, #Sesc Ipiranga
TUNGA: Conjunções Magnéticas Itaú Cultural , Avenida Paulista, 149
[PRESENCIAL] Cerca de 300 obras – entre elas, algumas inéditas, outras raras e ainda aquelas somente vistas em coleções privadas – mostram a extensão e pluralidade da produção do artista. Com parceria do Instituto Tunga e curadoria de Paulo Venancio Filho, a exposição ocupa os três andares do espaço expositivo da instituição e se estende para o Instituto Tomie Ohtake, também um parceiro, que abrigará dois trabalhos de grandes dimensões.

Funcionamento normal: terça a domingo, das 11h às 19h
Início da mostra: 11 de dezembro de 2021
Fim da mostra: 10 de abril de 2022
#Itaú Cultural, #tunga
Ocupação Benjamim de Oliveira Itaú Cultural , Avenida Paulista, 149
[PRESENCIAL] Em homenagem ao célebre palhaço, que se tornou um dos mais importantes artistas e empreendedores circenses do Brasil, o Itaú Cultural realiza a Ocupação Benjamim de Oliveira. Ao acompanhar essa trajetória, a mostra resulta, ainda, em uma representação deste universo no Brasil, do final do século XIX ao começo do XX. Entre cerca de 120 peças, a mostra reúne jornais da época, fotografias, audiovisuais, objetos circenses originais, livros, documentos e fonogramas de músicas interpretadas por ele e por seus companheiros de composição, como Mário Pinheiro, Eduardo das Neves, Catulo da Paixão Cearense, Chiquinha Gonzaga e Paulina Sacramento.

Funcionamento normal: terças-feiras a domingo, das 11h às 19h
Início da mostra: 27 de novembro de 2021
Fim da mostra: 27 de fevereiro de 2022
#Benjamim de Oliveira, #Itaú Cultural
Retratos Quilombolas Centro Cultural Vale do Maranhão , Av. Henrique Leal, 149 - Centro, São Luís - MA, 65010-160
[PRESENCIAL / VIRTUAL] Composta por 51 imagens produzidas pelas fotógrafas maranhenses Val Barros e Valdira Barros, que retratam recortes do cotidiano de quatro comunidades quilombolas no estado do Maranhão. "Apresentá-las aqui é uma forma de perpetuar esses momentos e, ao mesmo tempo, expressar gratidão por ter vivido e feito parte da história dessas comunidades que tanto nos ensinaram e continuam a nos ensinar através do seu exemplo de luta e resistência", explica Valdira Barros, ao que Val Barros complementa: "Sair da invisibilidade torna-se cada vez mais crucial em um momento de retrocesso das políticas públicas em relação às comunidades tradicionais brasileiras e as imagens fotográficas podem contribuir para isso".

Funcionamento normal: terça a sábado, das 10h às 13h e das 14h às 19h, exceto feriados
Início da mostra: 9 de dezembro de 2021
Fim da mostra: 9 de abril de 2022
1 2 3