Cruz-Diez: a liberdade da cor Espaço Cultural Porto Seguro , Alameda Barão de Piracicaba, 610 - Campos Elíseos, São Paulo - SP, 01216-012
O Espaço Cultural Porto Seguro, em São Paulo, abre a mostra Cruz-Diez: a liberdade da cor, em 9 de novembro. A exposição é a última a ser apresentada em todo o mundo que teve a chancela do artista, que participou de todo o processo de concepção ao lado do curador Rodrigo Villela, diretor executivo e artístico da instituição paulistana. Três fisiocromias e uma transcromia integram a primeira sala da exposição. Em uma delas, uma pequena fisiocromia de 1965, o trabalho de Cruz-Diez ainda passava por um período pré-industrial, conta Villela. “Depois o trabalho dele vai se tornando muito industrial. Ele tinha essa procura de fazer com que o trabalho saísse da escala de artesão. Ele falou que não se dedicou à pintura porque a pintura tinha muito artesanato e ele queria algo que pudesse ter mais escala”, comenta o curador. O artista era muito assertivo naquilo que acreditava. Em texto de 1967, ao qual deu o título de Minhas ideias sobre a Cor, ele propõe o conceito de “cor autônoma”, na qual a cor não depende de forma, especificidade ou de suporte. E, desta forma, ele extrapola suportes e técnicas, utilizando vídeos, pinturas, instalações, fotografias e se apropriando de paredes, de ruas e até mesmo de jardins. No mezanino da instituição, o público encontra a obra Labirinto Transcromia. 1965/2017, pela primeira vez sendo exibida no Brasil. No subsolo, salas mostram Ambiente Cromointerferente, 1974/2019 e Cromossaturação, 1965/2004, além de duas obras efêmeras de parede com o mesmo princípio de combinação das cores. Encerrando a mostra, um núcleo mais documental abarca vinte fotografias em preto e branco tiradas por Cruz-Diez no início de sua carreira e ainda dois vídeos: um com fotografias de obras em espaços público e outra com depoimentos dele sobre seus trabalhos.
11:00 - 20:51
De 9 de novembro de 2019
a 2 de fevereiro de 2020
Regina Silveira: Coisas Luciana Brito Galeria , Av Nove de Julho 5162 - São Paulo
A Galeria Luciana Brito anuncia a exposição individual de Regina Silveira, Coisas. A mostra, com abertura em 9 de novembro – final de semana em que acontece o Art Weekend – reúne, pela primeira vez, um panorama da produção em porcelana da artista, linguagem que há décadas desenvolve em paralelo às suas conhecidas instalações e exposições. A mostra inclui, ainda, uma instalação inédita em vinil na fachada do Anexo.
12:00 - 20:46
De 9 de novembro de 2019
a 21 de dezembro de 2019
Hilal Sami Hilal: Tudo bem Galeria Marilia Razuk , R. Jerônimo da Veiga, 131 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 04536-000
A exposição "Tudo bem", do artista capixaba Hilal Sami Hilal, tem como fio condutor o trecho de uma música de Bob Dylan, que o artista sempre guardou em sua memória: "Tudo bem, meu filho? Tudo bem, mamãe (só estou sangrando)”
11:00 - 20:37
De 9 de novembro de 2019
a 30 de janeiro de 2020
Vestindo o tempo – 70 anos de moda italiana Instituto Tomie Ohtake , Rua Coropé, 88 - Pinheiros, São Paulo
A exposição Vestindo o Tempo – 70 Anos de Moda Italiana percorre as rotas que levaram a produção da Itália a ganhar identidade e notoriedade internacional. As 45 peças selecionadas pertencem aos colecionadores Enrico Quinto e Paolo Tinarelli, detentores de um arquivo com seis mil itens, entre vestimentas e acessórios, atualmente fonte de inspiração para numerosas casas de moda. “Nesse sentido, o arquivo está intimamente integrado a um sistema produtivo no qual o passado é vital”, afirma a dupla.
20:00 - 17:00
De 12 de novembro de 2019
a 2 de fevereiro de 2020
David Lamelas: Nomadic Architecture Galeria Jaqueline Martins , R. Dr. Cesário Mota Júnior, 443 - Vila Buarque, São Paulo
O argentino David Lamelas, um dos precursores da arte conceitual, ganha sua primeira individual no Brasil. A mostra Nomadic Architecture estreia na sexta-feira (8/11), na Galeria Jaqueline Martins. No mesmo período, a Galeria inaugura uma sala para exibição de obras em vídeo da coleção da Associação Cultural Videobrasil.
17:00 - 18:00
De 8 de novembro de 2019
a 21 de dezembro de 2019
Galeno: ARTE POR ENGANO Luciana Brito Galeria , Av Nove de Julho 5162 - São Paulo
A galeria Luciana Brito participa na 4ª edição do projeto Art Weekend São Paulo entre os dias 8, 9 e 10 de novembro, sexta a domingo. O evento integra a ação “Galerias Recebem Galerias” promovido pela ABACT e apresenta a mostra ARTE POR ENGANO, individual de GALENO , em parceria com sua galeria exclusiva no Brasil, Karla Osorio, de Brasília. Mostra em cartaz até 25 de novembro.
12:00 - 15:42
De 9 de novembro de 2019
a 25 de dezembro de 2019
Entre 13 de novembro e 17 de dezembro de 2019 acontece na Praça das Artes, em São Paulo, a exposição “Ensaio Aberto”, individual da artista Luiza Gottschalk em conversa com a curadora Ana Paula Cohen. Realizada na Sala de Exposições do complexo cultural, no edifício da atual sede da Escola de Dança de São Paulo, a exposição cria um espaço de inter-relação entre artes visuais e cênicas (dança, teatro e música) partindo de pinturas inéditas desenvolvidas pela artista e da criação de uma coreografia, elaborada junto a um grupo de bailarinos no decorrer das cinco semanas de exposição. Serão apresentadas pinturas inéditas de grande escala, feitas a partir de uma técnica desenvolvida pela artista recentemente. Usando pigmento e água sobre dois tecidos sobrepostos, os trabalhos são posteriormente separados, criando assim desdobramentos não idênticos de uma mesma imagem. Na Sala de Exposições da Praça das Artes, tombada pelo seu valor histórico, as obras contam com expografia desenvolvida pela curadora e pela artista em parceria com o arquiteto Tito Ficarelli, do arkitito. Acompanhando a instalação de pinturas, a artista propõe ativar a exposição com uma coreografia inicial criada por Emilio Rogê a partir da pintura “A boneca de lata”, de 2015. Os ensaios, acompanhados por um grupo de dançarinos – formado por convocatória aberta em escolas de dança –, serão realizados durante as cinco semanas de exibição, duas vezes por semana, e seguidos por ensaios abertos com discussão sobre a coreografia. Todo o processo acontecerá no espaço de exposição, nos períodos em que estará aberto ao público. Nestes encontros, a relação do público com as pinturas será tanto contemplativa quanto ativada pela experiência da dança, da música e dos espelhos instalados no espaço. Os dançarinos estenderão a coreografia inicial junto ao coreógrafo e à artista, a partir de relações estabelecidas no embate com as pinturas apresentadas, de forma que cada dia de trabalho seguido de ensaio aberto e discussão seja usado como material disparador para o próximo ensaio. O primeiro ensaio aberto será no dia da abertura da exposição, dia 12 de novembro, às 19hs.
19:00 - 20:34
De 12 de novembro de 2019
a 17 de novembro de 2019
Luciano Zanette: NECROCOLÔNIA Verve Galeria , Rua Lisboa, 285 - Jardim Paulista, São Paulo - SP, 05413-000
A Verve Galeria exibe a exposição “NECROCOLÔNIA 2016-2019”, individual do artista gaúcho Luciano Zanette, com texto crítico de Thais Rivitti. A mostra conta com esculturas, desenhos e pinturas, que apresentam a leitura do artista perante o atual cenário político do Brasil. Sua pesquisa propõe um olhar reflexivo e crítico sobre como objetos do cotidiano desenhados para o corpo humano acabam por condicionar estes mesmos corpos, seus hábitos, gestos e posturas. De maneira simbólica, o artista traça um paralelo entre estes objetos e estruturas de poder também criadas pelo homem, que acabam por condicionar e oprimir a liberdade do próprio indivíduo.
19:00 - 21:00
De 7 de novembro de 2019
a 7 de dezembro de 2019
André Kruysen: Escultura Ama Modernismo Galeria Karla Osorio , SMDB Conjunto 31 Lote 1B - Lago Sul Brasília – DF
A mostra individual de André Kruysen “Escultura Ama Modernismo” é o resultado de residência artística de mais de um mês em Brasília. Todos os trabalhos expostos foram criados em intenso processo de imersão do artista no universo brasileiro. Ele tem reputação estabelecida na Holanda, onde é também professor na Universidade da Haia. A precisão contida nas formas modernistas aparece constantemente na obra, tornando-se ainda mais clara pela escolha do artista em anexar peças antigas de Fusca aos seus corpos híbridos, um carro que é uma representação direta das formas que estruturam a identidade da cidade, além de marcar o impacto urbanístico daquele período, algo fundamental para a experiência de Brasília.
18:00 - 20:00
De 30 de outubro de 2019
a 6 de dezembro de 2019
Sonia Andrade: O lugar a que se volta é sempre outro Galeria Athena , R. Estácio Coimbra, 50 - Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, 22260-010
A partir de 26 de outubro, a Galeria Athena apresenta a exposição individual de Sonia Andrade: O lugar a que se volta é sempre outro, com curadoria de Raphael Fonseca, pesquisador e, no momento, curador do MAC Niterói. A mostra contará com cerca de 30 obras em sua maioria nunca antes mostradas, que ocuparão três espaços expositivos da galeria. Os trabalhos abordam não só as diferentes relações com a noção de tempo, como também criações de diferentes momentos da pesquisa de Sonia Andrade, de 1972 aos dias atuais.
16:00 - 17:00
De 26 de outubro de 2019
a 21 de dezembro de 2019
Terry Winters Auroras , Avenida São Valério, 426, 05603-011 São Paulo, Brasil
O espaço auroras apresenta a primeira exposição no Brasil do pintor, desenhista e gravador Terry Winters (Brooklyn, 1949) , que desde o início da década de oitenta tornou-se grande referencia para diferentes gerações de pintores brasileiros. Ao longo de sua carreira, o artista expandiu as preocupações da arte abstrata ao envolver conceitos contemporâneos do mundo natural. Uma ampla variedade de temas é referenciada, desde a arquitetura de sistemas vivos e biológicos até novas ordenações espaciais de visualização de dados. Nos trabalhos apresentados nessa exposição, uma sensibilidade metafórica se revela na linguagem expressiva de formas e figuras ressonantes.
11:00 - 15:00
De 26 de outubro de 2019
a 21 de dezembro de 2019
León Ferrari: Nós não sabíamos Pinacoteca , Praça da Luz. 2 11 3324-1000
A mostra reúne cinquenta obras pertencentes ao museu, de autoria do argentino, enfatizando o aspecto político que marcou a produção de Ferrari. Sua prática é carregada por uma crítica contundente às instituições de arte, aos sistemas políticos e à moral vigente nas décadas de 1960 e 1970. Esta é a primeira vez que o museu exibe duas séries completas de sua coleção, relacionadas ao artista falecido em 2013. 33 delas foram doadas por ele, em vida.
11:00 - 15:00
De 26 de outubro de 2019
a 16 de fevereiro de 2020
A Galeria Kogan Amaro abre duas exposições: Montanha das nuvens brancas 白雲山 Hakuunzan, de Kimi Nii e A concha, a espada, o corte e o amor, de Katia Salvany. Luz e elementos da natureza despertam encantamento da artista nipo-brasileira Kimi Nii. A artista encontrou no Brasil uma rica variedade de tons, espécies e cenários naturais que inspiram suas criações, esculturas minimalistas, nas quais convida o espectador a construir paisagens mentais. Essa é a proposta da exposição Montanha das nuvens brancas 白雲山 Hakuunzan, individual de Kimi Nii com curadoria de Ricardo Resende. Em A concha, a espada, o corte e o amor, Katia Salvany conecta diversos suportes de impressão e gravura, passando por cada um deles como a fração de um filme. A mostra tem curadoria de Ana Carolina Ralston.
11:00 - 15:00
De 26 de outubro de 2019
a 23 de novembro de 2019
Miguel Bakun: uma grandeza precária Galeria Simões de Assis | São Paulo , R. Sarandi, 113a - Cerqueira César, São Paulo - SP, 01414-010
A Galeria Simões de Assis traz em sua sede paulistana um recorte da produção de Miguel Bakun. Esta exposição, assim como as últimas do pintor, especialmente a realizada no Instituto Tomie Ohtake no primeiro semestre de 2019, cumpre a tarefa de não só resgatar uma obra excepcional como de conferir a Bakun o reconhecimento merecido, ainda que tardiamente e muito depois de sua morte.
13:00 - 16:00
De 26 de outubro de 2019
a 14 de dezembro de 2019
Ding Musa: Parêntesis Galeria Raquel Arnaud , R. Fidalga, 125 - Vila Madalena, São Paulo - SP, 05432-070
Ding Musa apresenta “Parêntesis”, sua terceira individual na Galeria Raquel Arnaud. A mostra, com texto crítico assinado pelo curador Josué Mattos, traz não só as reconhecidas fotografias do artista, mas também instalações, objetos e vídeos, consolidando um percurso de investigação por diferentes suportes, conforme o artista vem fazendo ao longo dos últimos 10 anos. Numa definição formal, os parêntesis no caso funcionam para o olhar. “Isso porque a mirada de quem passar pelas obras deve se lançar a sobrevoos, sem perder de vista pousos detidos em partes, com poucos pontos de fuga”, observa Mattos. Segundo o crítico, o trânsito livre do olhar é interrompido por imagens de muros e chãos que comentam algo central na produção do artista: a condição complexa da unidade de construção e suas negociações com sistemas extrativistas promotores de escassez de trabalho, terra e moradia.
11:00 - 19:00
De 26 de outubro de 2019
a 20 de dezembro de 2019
Marina Weffort: Tecido SIM Galeria , R. Sarandi, 113a - Cerqueira César, São Paulo - SP, 01414-010
A Galeria SIM traz a produção inédita de Marina Weffort, apresentando 13 trabalhos sobre tecido e 12 aquarelas concebidas em 2019. Conforme aponta Maria do Carmo Pontes em seu texto curatorial sobre a exposição, a linha é a matéria-prima preferida de Marina Weffort. Contudo, seu fazer artístico difere com o que se espera em obras com tecido. No lugar de trabalhar com a adição, a artista opera por subtração das linhas. As imagens surgem na ação de pinçar os fios e retirá-los da trama
13:00 - 19:00
De 26 de outubro de 2019
a 14 de dezembro de 2019
A presença dos nacionalismos para a compreensão das disputas que marcam o nosso tempo. É este o cenário sobre o qual se debruça a 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil | Comunidades Imaginadas, que ocorre de 9 de outubro de 2019 a 2 de fevereiro de 2020, no Sesc 24 de Maio, em São Paulo, reunindo mais de 60 obras e duas coleções, 55 artistas de 28 países, entre vídeos, pinturas, fotografia e instalação.
19:00 - 18:00
De 9 de outubro de 2019
a 2 de fevereiro de 2020
Rafael Vogt Maia Rosa: Senhor das Nuvens Galeria São Paulo Flutuante , Rua Estados Unidos, 2186 – Jd. América – São Paulo
O crítico de arte e curador Rafael Vogt Maia Rosa apresenta sua primeira exposição autoral, “Senhor das Nuvens”, entre os dias 10 de outubro e 14 de novembro de 2019, na Galeria São Paulo Flutuante. A mostra reúne um conjunto de 70 aquarelas e vídeos, realizado nos últimos quatro anos, abordando as relações entre natureza e cultura na arte contemporânea.
19:00 - 18:00
De 10 de outubro de 2019
a 14 de novembro de 2019
Flávia Junqueira: O Absurdo e a Graça Zipper Galeria , Jardim América: r. Estados Unidos, 1.494
Em “O Absurdo e a Graça”, a artista Flávia Junqueira leva a fotografia encenada para a sua fonte mais primordial: o espaço de espetáculo, encenação e contemplação. Terceira individual da artista na Zipper Galeria, a exposição reúne trabalhos realizados a partir da apropriação pela artista de exemplares arquitetônicos do patrimônio histórico nacional – de teatros representativos da Belle Époque brasileira, do final do século 19, à arquitetura modernista do Pavilhão da Bienal, de meados do século 20 – nos quais ela constrói cenários ficcionais permeados por luxo e suntuosidade, ainda que de maneira irônica. Com texto crítico assinado pelo escritor Julián Fuks, a mostra inaugura no dia 12 de outubro, às 12h.
12:00 - 17:00
De 12 de outubro de 2019
a 16 de novembro de 2019
Zanine 100 anos: Forma e Resistência Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) , Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo, Rio de Janeiro - RJ
O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro apresenta a partir de 14 de setembro de 2019 a exposição “Zanine 100 anos – Forma e Resistência”, com 18 obras feitas pelo consagrado arquiteto, designer, artista, paisagista e professor José Zanine Caldas (1919-2001), dentro de sua profunda pesquisa sobre nossas madeiras. Com curadoria de Tulio Mariante, curador de design do MAM, as obras selecionadas integram a emblemática e profícua produção de Zanine entre o final dos anos 1960 e 1980, conhecida como “móvel-denúncia”. As peças, feitas em madeira maciça, denunciavam de maneira pioneira o desmatamento das florestas brasileiras. Tulio Mariante destaca que Zanine “coletava as madeiras em restos de abates, muitas vezes irregulares, como forma de denúncia, como forma de resistência”.  Mais do que apenas móveis, os especialistas consideram esses trabalhos como esculturas funcionais, maneira de o artista expressar sua percepção de nossa cultura. O processo de criação era lento, com a utilização de ferramentas tradicionais como serrote, enchó, formão, plaina, e tendo como mão de obra os canoeiros da Bahia. Várias das peças expostas foram criadas no período em que Zanine Caldas viveu em Nova Viçosa, Bahia, anos 1970 até 1980, onde instalou uma oficina que se tornou ponto de encontro de grandes nomes da cultura brasileira, como Oscar Niemeyer, Carlos Vergara, Chico Buarque, Amelia Toledo, Odete Lara entre outros. Lá, ele construiu a famosa casa na árvore para o artista Frans Krajcberg. Com esta homenagem, é a terceira vez que o MAM realiza uma exposição sobre José Zanine Caldas. Sua primeira mostra individual no Museu foi em 1975, e a segunda em 1983, quando construiu, junto aos jardins, uma casa de madeira. A produção de “Zanine 100 anos – Forma e Resistência” é da família de Zanine Caldas, com o apoio de Etel Design e Escritório de Arte Marcela Bartolomeo. São destaques da exposição as peças “Namoradeira”, o “Redário”, a escultura em madeira pequi, a mesa de jantar e o aparador com tampo de vidro criados em Nova Viçosa nos anos 1970, o sofá feito em ilhéus em 1980, entre outras.
15:00 - 18:00
De 14 de setembro de 2019
a 17 de novembro de 2019
1 2