Nicholas Nixon no Instituto Tomie Ohtake Instituto Tomie Ohtake , Rua Coropé, 88 - Pinheiros, São Paulo
Um conjunto expressivo da produção do fotógrafo Nicholas Nixon (1947, Detroit, Michigan, EUA) é, pela primeira vez, exibido no Brasil nesta exposição realizada pelo Instituto Tomie Ohtake com a colaboração da Fundación MAPFRE. Com curadoria de Carlos Gollonet, chefe de fotografia da Fundación MAPFRE e obras provenientes do acervo da fundação espanhola, a mostra traz 182 imagens divididas em nove núcleos que indicam a notabilidade do artista em retratos e fotografia documental: As Irmãs Brown, Cidades, Varandas, Idosos, Casais, Família / Casa, Retratos e fotos recentes. O premiado fotógrafo norte-americano tem explorado sobretudo o retrato desde os anos 1970, centrando-se em temas como envelhecimento, família, afeto, cumplicidade e solidão. Embora mais conhecido pela As irmãs Brown, trabalho em que registra ano a ano um grupo de quatro mulheres, Nixon criou várias outras séries também reconhecidas por revelar justamente o que não se vê: a humanidade e a emoção contida em expressões de idosos residentes em asilos, casais, grupo de pessoas, além de vistas primorosas de cidades.
#Instituto Tomie Ohtake, #Nicholas Nixon
12:04 - 17:00
De 22 de janeiro de 2021
a 18 de abril de 2021
“Confim”, de Gabriel Botta Galeria Kogan Amaro , Alameda Franca, 1054 Jardim Paulista, São Paulo, SP
Gabriel Botta apresenta primeira individual, na Galeria Kogan Amaro, em cartaz a partir de 20 de janeiro de 2021. Com curadoria de Pollyana Quintella, a mostra traz um conjunto inédito de cerca de 20 pinturas e desenhos criados em diferentes suportes e dimensões ao longo de 2020. Nestes trabalhos, é possível observar as conexões pictóricas formadas no campo das ideias. Como um fenômeno intrínseco, eles possuem relação de partilha e referência entre si, como uma paisagem infinita, onde os fragmentos do conjunto são capturados e repetidos de diferentes maneiras, ora através do gesto, ora através de sistemas sígnicos. As obras de Gabriel convidam o público para a beira, onde podem observar a efemeridade de imagens transitórias que se desfazem na mesma medida que se reconstroem. Por um lado, se referem a paisagens do mundo externo, como arrebentações, erupções e ventanias, por outro, tocam o plano do interno do espectador, como cartografias de afetos, intensidades e emoções.  O público pode visitar a exposição com horário agendado pelo telefone (11 3045-0755 / 0944) ou e-mail (atendimento@galeriakoganamaro.com). Seguindo o protocolo de segurança ambiental e sanitária da pandemia do Covid-19, a Galeria funciona em horário especial, das 11h às 15h, com número limitado de visitantes, uso obrigatório de máscara, além da disponibilização de álcool em gel e orientação de distanciamento mínimo de 1,5 metro entre todos.
#Gabriel Botta, #Galeria Kogan Amaro, #Kogan Amaro
11:00 - 15:00
De 20 de janeiro de 2021
a 27 de fevereiro de 2021
Nos Confins Galeria Kogan Amaro , Alameda Franca, 1054 Jardim Paulista, São Paulo, SP
#Gabriel Botta, #Galeria Kogan Amaro
11:00 - 15:00
De 20 de janeiro de 2021
a 27 de fevereiro de 2021
Degas MASP - Museu de Arte de São Paulo , Av. Paulista, 1578 - Bela Vista, São Paulo - SP
Esta mostra reúne o conjunto completo de 76 obras de Edgar Degas (1834-1917) do acervo do MASP, exibido ao público pela última vez há 14 anos. Os trabalhos do artista foram adquiridos na década de 1950, no contexto das excepcionais aquisições promovidas por Pietro Maria Bardi (1900-1999), diretor fundador do museu, cujo foco estava na arte europeia. A obra de Degas sempre se manteve em um lugar de ambiguidade, entre a tradição e a modernidade. Seu caráter inovador para a época fica claro nos trabalhos aqui expostos, especialmente na Bailarina de catorze anos (1880), situada na primeira sala da mostra. Com a escultura, Degas não pretendia representar uma bela jovem, mas, sim, uma adolescente trabalhando arduamente para se tornar uma bailarina da Opéra de Paris. Foi durante uma de suas frequentes visitas à Opéra que o artista conheceu Marie van Goethem, a estudante de balé retratada em sua obra mais famosa. Pouco se sabe sobre a vida dela, apenas que ingressou no balé da Opéra de Paris aos 13 anos e era filha de uma lavadeira e de um alfaiate em constante estresse financeiro. As bailarinas geralmente vinham de famílias de operários e trabalhadores que buscavam mobilidade social ou estabilidade financeira por meio da dança. Sabe-se que uma de suas irmãs foi presa por roubar um cliente no célebre cabaré Chat Noir, localizado no bairro boêmio de Montmartre, em Paris. Depois desse episódio, Marie começou a faltar a várias aulas e acabou sendo dispensada da Opéra. Provavelmente como sua irmã, ela foi forçada à prostituição por sua mãe. Essas são algumas das narrativas que muitas vezes são deixadas de lado quando se observa esse que é um dos trabalhos mais emblemáticos do artista, da história da escultura, e da coleção do museu.
#Degas, #MASP, #Museu de Arte de São Paulo
12:00 - 19:00
De 4 de dezembro de 2020
a 1 de agosto de 2021
Beatriz Milhazes: Avenida Paulista MASP - Museu de Arte de São Paulo , Av. Paulista, 1578 - Bela Vista, São Paulo - SP
O Itaú Cultural e o MASP abrem a exposição "Beatriz Milhazes: Avenida Paulista", que acontece simultaneamente nas duas casas, abrindo dia 12 de dezembro (sábado), no Itaú Cultural, e dia 18 (sexta-feira), no MASP. A mostra percorre o arco de produção da artista entre 1989 a 2020 e revela o desdobramento de seu trabalho para outros suportes além da pintura. Com cerca de 170 obras, a exposição contém obras inéditas nas duas instituições e torna-se a maior exposição de Beatriz já vista pelo público. No Itaú Cultural, apresenta 79 obras – três delas, inéditas: "Havaí em amarelo vibrante", "Cor de pele" e "Giro horizontal" – entre colagens, gravuras e um minidocumentário sobre a obra da artista, realizado pelo Núcleo de Audiovisual e Literatura da organização. No Masp, os curadores Adriano Pedrosa e Amanda Carneiro, reuniram pinturas, em grandes e pequenos formatos, além de esculturas e desenhos.
12:00 - 19:00
De 18 de dezembro de 2020
a 30 de maio de 2021
Aglomeração Antonio Henrique Amaral Instituto Tomie Ohtake , Rua Coropé, 88 - Pinheiros, São Paulo
A exposição-processo realizada virtualmente pelas redes sociais de junho a outubro, com a reabertura dos centros culturais ganha espaço no Instituo Tomie Ohtake e pode ser visitada até dia 07/02/2021. De terça a domingo, das 12h às 17h - entrada é gratuita. O projeto, do curador Paulo Miyada em parceria com o Instituto Antonio Henrique Amaral, aprofundou a obra, quase premonitória do momento atual, de um dos principais artistas brasileiros do século XX.  Do momento de lançamento do projeto até a reabertura foram produzidos e divulgados semanalmente nas redes do Instituto Tomie Ohtake conteúdos sobre as obras do artista, com destaque para sua produção em papel (gravuras, desenhos e estudos). Esses conteúdos incluíram análises de obras, reflexões históricas, digressões ensaísticas e trocas de imagem e palavra com artistas jovens convidados a responder a obras específicas do artista. 
#Antonio Henrique Amaral, #Instituto Tomie Ohtake, #Tomie Ohtake
12:00 - 17:00
De 5 de janeiro de 2021
a 7 de fevereiro de 2021
HORIZONTES: LORENZATO E BRUNO FARIA Galeria Marilia Razuk , R. Jerônimo da Veiga, 131 - Itaim Bibi, São Paulo - SP, 04536-000
HORIZONTES enuncia um território entre as duas produções, separadas por quase três décadas, e que renovam e atualizam mais uma vez esse gênero. Lorenzato (1900-1995) representava a realidade cotidiana mineira, utilizava cores essenciais e muitas vezes trabalhava a tinta com um pente de metal, comumente empregado na ornamentação de pintura de parede, técnica que herdou de seu oficio de pintor de construção civil, que exerceu até 1956. Bruno Faria (1981), por sua vez afasta-se da linguagem tradicional da pintura para uma aproximação conceitual. Na série Lembranças de Paisagem, o artista garimpa em feiras de antiguidade flâmulas/bandeiras produzidas nas décadas de 60 e 70, que trazem imagens de paisagens correspondentes ao imaginário de cidades brasileiras. Vistas na época como souvenirs, como cartões-postais, ganham a intervenção da pintura, retirando os textos, deixando apenas a imagem da paisagem de cada cidade. Ao colocar esses dois artistas em diálogo, a exposição traz ao espectador duas poéticas que, cada uma a sua maneira, mantém o enigma da paisagem que se apaga, mas que também resiste.
#Bruno Faria, #galeria marilia razuk, #Lorenzato, #Marilia Razuk
11:00 - 18:00
De 13 de janeiro de 2021
a 12 de fevereiro de 2021
Una(S)+ Oi Futuro , Rua Dois de Dezembro, 63 - Flamengo, Rio de Janeiro
Cerca de 80 obras de 15 artistas mulheres da Argentina e do Brasil, reunidas pela curadora Maria Arlete Mendes Gonçalves, ocuparão todo o prédio do Centro Cultural Oi Futuro no Flamengo, Rio de Janeiro, na exposição Una(S)+, de 13 de janeiro a 28 de março de 2021. A mostra ocupará do térreo à cobertura, passando pelas galerias, escadas, elevador e pátio externo, e inaugura a programação do Oi Futuro em 2021, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária. Produzidas em dois momentos – antes e durante a pandemia – as obras afirmam a potência feminina na arte. Orientações de visitação: as visitas são gratuitas e deverão ser agendadas previamente online ou por telefone e nos seguintes horários: 11h-13h; 13h30-15h30; 16h-18h, de quarta a domingo; o uso correto de máscara (cobrindo nariz e boca) é obrigatório durante todo o tempo da visita; cada visitante pode permanecer até duas horas no Centro Cultural Oi Futuro, com acesso permitido às galerias, banheiros, Musehum, bistrô e terraço; será exigido na entrada o comprovante de agendamento e documento de identificação; é necessário manter a distância de 1,5 metro de outros visitantes que não sejam do seu grupo familiar e respeitar a sinalização de fluxo de entrada e saída indicados pelo prédio; haverá medição de temperatura na entrada e tapete sanitizador.
#Oi Futuro
11:00 - 18:00
De 13 de janeiro de 2021
a 28 de março de 2021
My name is IVALD GRANATO Eu sou Sesc Guarulhos , R. Guilherme Lino dos Santos, nº 1.200 - Jardim Flor do Campo, Guarulhos - SP, 07190-010
Com curadoria de Daniel Rangel, My Name Is IVALD GRANATO Eu Sou apresenta o artista plástico fluminense (1949-2016) em uma visão multi-perspectiva, destacando sua expressão pessoal e como ela se reflete em suas telas, sua forma de se relacionar com o mundo e a ligação direta de seus traços marcantes, as cores vivas e a gestualidade presentes em suas obras. Com 5 décadas de trabalho ininterrupto, Granato desenvolveu uma produção extensa, experimentando diversas técnicas e procedimentos, sendo inclusive um dos pioneiros da arte performance no Brasil. Além de trazer uma seleção de suas pinturas, objetos, desenhos e cadernos de artista, com o uso de recursos multimídias, a exposição pretende abarcar sua produção, incessante e multifacetada, sua personalidade cativante e agregadora, e a atmosfera de efervescente experimentação de seu ateliê na Zona Oeste de São Paulo. O artista multimídia Tadeu Jungle concebe um espaço digital, acessível com o uso de óculos de realidade virtual, em que o público pode navegar para visualizar mais obras de Ivald Granato - ampliando o acervo presente no Espaço Expositivo da unidade. Nas telas espalhadas pela expografia, estão também depoimentos e entrevistas em vídeo de artistas e amigos que conviveram com Granato.
#Ivald Granato, #Sesc Guarulhos
15:00 - 14:00
De 10 de novembro de 2020
a 20 de fevereiro de 2021
Oficina Molina – Palatnik Sesc Avenida Paulista , Av. Paulista, 119 - Bela Vista, São Paulo - SP
Dois artistas conectados pelo apreço ao lúdico e pelo prazer da invenção - assim são Abraham Palatnik (1928 - 2020) e Mestre Molina (1917 - 1998), nomes emblemáticos da história da arte brasileira que integram o Acervo Sesc de Arte. Um diálogo entre suas produções artísticas será exibido ao público na mostra inédita Oficina Molina - Palatnik , em cartaz a partir de 2 de dezembro no Sesc Avenida Paulista. Com curadoria da equipe do Sesc São Paulo, neste encontro, o diálogo poético entre as obras de diferentes épocas da trajetória de Palatnik e Molina, artistas que compartilham um mesmo período histórico, evidencia que a ação de um objeto no espaço e no tempo, o movimento, é matéria plástica de inegável qualidade sensível.
#Abraham Palatnik, #Mestre Molina, #Molina, #Palatnik, #Sesc Av. Paulista, #Sesc SP
15:00 - 14:00
De 2 de dezembro de 2020
a 27 de março de 2021
Realce Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) , Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo, Rio de Janeiro - RJ
A mostra "Realce" reflete o processo pessoal de aprendizado e familiarização da dupla Keyna Eleison e Pablo Lafuente, que assumiu em setembro desse ano, com as obras da coleção e a arquitetura dos espaços expositivos. Com mais de 50 trabalhos de vertentes e períodos variados, a exposição revela a abrangência e a diversidade do acervo, e busca novos olhares em diálogo com os espaços do museu. São pinturas, esculturas, gravuras, instalações e objetos de artistas consagrados como Adriana Varejão, Anna Bella Geiger, Cícero Dias, Cildo Meireles, Djanira, GTO, Heitor dos Prazeres, Ivan Serpa, Luiz Zerbini, Lygia Clark, Mira Schendel, Rubens Gerchman,Tunga e Véio, entre outros.
#Adriana Varejão, #anna bella geiger, #Cícero Dias, #Cildo Meireles, #Djanira, #Heitor dos Prazeres, #Ivan Serpa, #Luiz Zerbini, #Lygia Clark, #MAM Rio, #Mira Schendel, #Realce, #Rubens Gerchman, #tunga
10:00 - 18:00
De 12 de dezembro de 2020
a 21 de fevereiro de 2021
Hélio Oiticica: a dança na minha experiência Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) , Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo, Rio de Janeiro - RJ
O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) abrirá a exposição individual "Hélio Oiticica: a dança na minha experiência" no dia 12 de dezembro de 2020, sábado, às 10h. Correalizada com o Museu de Arte de São Paulo (MASP), a mostra reúne cerca de cem obras do carioca Hélio Oiticica (1937-1980) relacionadas ao ritmo, à música e à dança, sob a curadoria de Adriano Pedrosa e Tomás Toledo, respectivamente diretor artístico e curador-chefe da instituição paulista. Inspirada pela produção experimental e pioneira dos períodos de investigações geométricas, rítmicas e cromáticas, a exposição tem como ponto de partida os Parangolés (1964 - 1979): as “anti-obras de arte”, como o próprio Oiticica as definia. Um dos trabalhos mais radicais do artista, os Parangolés revelam sua estreita relação com a Estação Primeira de Mangueira e com o samba. E são estas capas, faixas e bandeiras construídas com tecido colorido – que podem exibir sentenças de natureza política ou poética - que conduzem o público a uma retrospectiva da trajetória de HO desde os Metaesquemas (1956-1958) aos Relevos Espaciais (1959-1960), Núcleos (1960-1966), Penetráveis (1961-1980) e Bólides (1963-1979).
#Hélio Oiticica, #MAM Rio
10:00 - 18:00
De 12 de dezembro de 2020
a 7 de março de 2021
Fayga Ostrower: Imaginação tangível Pinacoteca , Praça da Luz. 2 11 3324-1000
A exposição celebra o centenário de nascimento da Fayga Ostrower (1920-2001), artista bem atuante na segunda metade do século XX. Gravadora, pintora, desenhista, ilustradora, teórica  da arte e professora, Fayga Ostrower chegou ao Rio de Janeiro em 1934, acompanhada de seus pais e mais três irmãos, a família fugia das perseguições nazistas na Alemanha. Dedicada às artes plásticas e também a disseminação das artes, numa vocação educacional, além de lecionar em várias universidades brasileiras, chegou a dar aulas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no Spellman College, em Atlanta, EUA, na Slade School da Universidade de Londres, Inglaterra. Em sua trajetória também se destacam os prêmios: Grande Prêmio Nacional de Gravura da Bienal de São Paulo, o Grande Prêmio Internacional da Bienal de Veneza e o Grande Prêmio nas bienais de Florença, Buenos Aires, México, Venezuela. Esta exposição abordará uma parcela da produção dessa artista, incluindo os tecidos estampados.
#Fayga Ostrower, #pinacoteca, #Pinacoteca de São Paulo
12:00 - 18:00
De 30 de janeiro de 2021
a 31 de maio de 2021
Países Espelhados: Brasileiros e Africanos que Falam Português SESC Consolação , R. Dr. Vila Nova, 245 - Vila Buarque, São Paulo - SP, 01222-020
Por meio de imagens, artesanatos, têxteis, música, lendas e histórias das tradições oral e escrita, e culinária, a exposição apresenta as trocas culturais entre os países lusófonos Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Com curadoria de Renato Imbroisi, a mostra fica em cartaz de 24 de novembro a 27 de fevereiro de 2021. O agendamento das visitas deve ser feito em sescsp.org.br/consolacao
#Angola, #Brasil, #Cabo Verde, #Guiné Bissau, #Moçambique, #São Tomé e Príncipe, #sesc consolação, #Sesc SP
12:00 - 19:00
De 24 de novembro de 2020
a 27 de fevereiro de 2021
Infinito Vão: 90 Anos de Arquitetura Brasileira Sesc 24 de Maio , R. 24 de Maio, 109 - República
Com foco na produção moderna e contemporânea, a exposição, com curadoria de Fernando Serapião e Guilherme Wisnik, apresenta trabalhos de 96 figuras emblemáticas da arquitetura. Concebida inicialmente para a instituição portuguesa Casa da Arquitetura, onde ficou exposta entre 2018 e 2019, “Infinito Vão” é dividida em seis núcleos que, cronologicamente, apresentam importantes projetos realizados a partir dos anos 1920. Estão presentes obras consagradas da primeira metade do século 20, de nomes como Lucio Costa, Gregori Warchavchik, Oscar Niemeyer e Affonso Reidy; seguidas por edifícios das décadas seguintes de Lina Bo Bardi, Rino Levi, Vilanova Artigas, Paulo Mendes da Rocha e Lelé, entre outros; chegando à produção contemporânea de Andrade Morettin, Alvaro Puntoni, MMBB, SPBR Arquitetos, Metro Arquitetos, Carla Juaçaba e tantos outros. Inicialmente prevista para acontecer entre os meses de abril e junho deste ano, a mostra, que teve sua abertura adiada devido às restrições impostas pela pandemia de covid-19, agora pode ser visitada gratuitamente até 27 de junho de 2021, de terça a sexta, das 15h às 21h, e aos sábados, das 10h às 14h, mediante agendamento prévio pelo site http://sescsp.org.br/24demaio.
#Arquitetura, #Sesc 24 de Maio, #Sesc SP
12:00 - 19:00
De 25 de novembro de 2020
a 27 de junho de 2021
Transbordar: Transgressões do Bordado na Arte Sesc Pinheiros , R. Pais Leme, 195 - Pinheiros, São Paulo - SP, 05424-150
Com curadoria de Ana Paula Cavalcanti Simioni, a mostra reúne obras de mais de 30 artistas de diversas gerações, pesquisas e linguagens artísticas que se utilizam do bordado como um meio expressivo contestador de hierarquias estéticas e sociais. São nomes como Ana Miguel, Anna Bella Geiger, Arthur Bispo do Rosário, Beth Moysés, Fabio Carvalho, Fernando Marques Penteado, Jucelia da Silva, Karen Dolorez, Leonilson, Letícia Parente, Lia Menna Barreto, Nazareth Pacheco, Pola Fernandez, Rodrigo Mogiz, Rosana Palazyan, Rosana Paulino, Rosângela Rennó, Sônia Gomes, Zuzu Angel, entre outros. A mostra traz também alguns trabalhos de arpilleras chilenas. Agendamento de visitas em sescsp.org.br/pinheiros
#Sesc Pinheiros
10:00 - 19:00
De 26 de novembro de 2020
a 8 de maio de 2021
Tomie Ohtake – A cor do invisível Instituto Tomie Ohtake , Rua Coropé, 88 - Pinheiros, São Paulo
A exposição Tomie Ohtake – A cor do invisível marca o aniversário da artista, que no dia 21 de novembro faria 107 anos (Quioto, 1913 – São Paulo, 2015), e também do Instituto Tomie Ohtake, fundado em 28 de novembro de 2001.  Com curadoria de Luciara Ribeiro e Luise Malmaceda, a exposição é um ensaio visual centrado na ousadia das cores utilizadas por Tomie Ohtake. Conforme apontam as curadoras, o conjunto de trabalhos – cinco pinturas, seis gravuras e um estudo para a empena de edifício na Ladeira da Memória em São Paulo –, produzido entre os anos 1970 e o início da década seguinte, apresenta combinação de cores enfática, onde a fluidez do gesto dá lugar a construções mais sólidas, ainda que não completamente rígidas. “São os jogos de luz, sombra e nuances que se destacam e, justamente, marcam a singularidade de Tomie como artista”.
12:00 - 17:00
De 28 de novembro de 2020
a 4 de abril de 2021
Shunga: Serenos e Ofegantes Galeria Lume , Rua Gumercindo Saraiva, 54 - Jardim Europa, São Paulo
O fotógrafo e artista visual Gal Oppido é um ávido pesquisador da arte erótica japonesa, o “Shunga” - nascida no país oriental no período Edo (séc. 17 a 19). Nas fotografias, aquarelas, xilogravuras e obras em suportes diversos de Oppido, o corpo é fonte provedora de liberdade e sensualidade, inquietação e mistérios, tal qual um lugar a ser desbravado. Uma síntese inédita desta aproximação com a cultura japonesa poderá ser vista na exposição Shunga: Serenos e Ofegantes, em cartaz a partir de 25 de novembro na Galeria Lume. Para Oppido, que teve o primeiro contato com Shunga no início da década de 1970, esta arte vai muito além dos ritos sexuais. "É praticamente um estado de percepção", ele diz. E é o que afirma por meio da seleção de obras que compõem a exposição. Na ocasião da abertura da mostra, o artista lança o livro “Intoxicações poéticas da carne” (N-1 Edições), publicação com textos de Christine Greiner, professora universitária e autora de livros sobre expressões do corpo japonês, e no qual ele apresenta encontro ficcional com o icônico escritor japonês Yukio Mishima
#Fotografia, #Gal Oppido, #galeria lume
10:00 - 17:00
De 25 de novembro de 2020
a 20 de fevereiro de 2021
Northern Light, Southern Skies Galeria BABAL SP , rua Estados Unidos, 2205, Jardim Paulista, São Paulo
Após fotografar a África em seu último trabalho, intitulado “Luz e Sombra”, Christian Cravo revisita o passado e traz de volta imagens da Salvador que lhe surpreendera quando saiu de Copenhague para morar no Brasil. Imagens de uma cidade tropical, mestiça, ao mesmo tempo singular e plural. A exposição marca o início da representação entre o artista e a BABEL SP, que recebe a exposição a partir de 17 de novembro 2020. Nas imagens em preto e branco, Christian capta a espontaneidade de crianças, a vida perto do mar, a religiosidade e a sensualidade presente nas ruas. Christian passou a infância e a adolescência entre o Brasil e a Dinamarca, fez estes registros entre os 17 e 19 anos de idade, período que passou com o pai na Bahia, após 10 anos vivendo na Europa.
#Fotografia, #Northern Light, #Southern Skies
10:00 - 17:00
De 17 de novembro de 2020
a 30 de janeiro de 2021
Véxoa: Nós Sabemos Pinacoteca , Praça da Luz. 2 11 3324-1000
A Pinacoteca de São Paulo realiza, pela primeira vez, uma exposição dedicada à produção indígena contemporânea, com curadoria da pesquisadora indígena Naine Terena. "Véxoa: Nós Sabemos" contará com a presença de 23 artistas/coletivos de diferentes regiões do país, apresentando pinturas, esculturas, objetos, vídeos, fotografias, instalações, além de uma série de ativações realizadas por diversos grupos indígenas. Os trabalhos selecionados, obras históricas e contemporâneas de artistas individuais e também de coletivos, demonstram a pluralidade da produção de artistas indígenas. São pinturas, instalações, esculturas, objetos, vídeos e fotografias que desmistificam a produção artística indígena à condição de artefato ou artesanato. Em Véxoa, a organização expositiva dos trabalhos não é cronológica, pois leva em consideração as diferentes temporalidades da produção artística indígena, que se transforma no tempo e não é efêmera ou pontual. “Por isso as obras ocupam espaços dialógicos independente da sua estrutura, localidade de origem, artista ou outra classificação, como a etnográfica”, explica Naine. Os ingressos são gratuito para todos, todos os dias da semana, mas é necessário reservá-los no site da Pinacoteca. 
#pina, #pinacoteca
12:00 - 20:00
De 31 de outubro de 2020
a 11 de abril de 2021
1 2
Fale com a gente