INTRODUÇÃO À ESTÉTICA CONTEMPORÂNEA

arte✱formação

arte!brasileiros lança em abril programa de extensão cultural interdisciplinar de educação à distância, dedicada a estudantes do ensino superior, profissionais da arte, da psicanálise, da história e da filosofia, artistas e colecionadores

 

Passamos por um momento excepcional, submetidos a inúmeras provações, na saúde, na economia, na cultura, na educação.
No obstante, não podemos parar. Sabemos que é fundamental estar profundamente imbricados em nosso tempo, com nosso devir e a compreensão do lugar do outro.

Não é de hoje que a arte serve como campo de estudo para a pergunta:
Quem somos? De onde viemos? Aonde vamos? Como disse o historiador e crítico de arte Hal Foster, em 1966, “Na verdade não é que a História da Arte precise de uma teoria do sujeito e sim que, a História da arte nos permite pensar a teoria de um sujeito, moderno ou contemporâneo”.

Pois é. Que “coisa” é essa que o homem produz…

Que “espaço” é esse que ela ocupa que permite que nela se concentrem destinos da pulsão capazes de perturbar um outro que se deixa tocar por ela permitindo que o estranhamento que lhe provoca o faça sentir e pensar?

arte!brasileiros, em linha com sua tradição de investir em diferentes mergulhos, necessários para a construção de um sujeito consciente e crítico, lança a partir de abril um Programa de Extensão Cultural, em EAD, que oferecerá cursos de formação continuada onde, a partir de um amplo estudo de obras e histórias de artistas, despertem reflexões sobre arte contemporânea provocadas por fundamentos ligadas a diferentes disciplinas do conhecimento.

 

A divisão arteformação começa com o lançamento do curso, Introdução à Estética Contemporânea: uma conversa entre arte, filosofia e psicanálise.

O curso será ministrado pelos professores

MOACIR DOS ANJOS 

É pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife, onde coordena o projeto de exposições Política da Arte. Foi diretor do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (2001-2006), Recife, e pesquisador visitante no centro de pesquisa Transnational Art, Identity and Nation, University of the Arts London (2008-2009). Foi curador do pavilhão brasileiro Artur Barrio na 54ª Bienal de Veneza (2011) e curador da 29ª Bienal de São Paulo (2010). Foi curador das mostras Cães sem Plumas (2014), no MAMAM, A Queda do Céu (2015), no Paço das Artes, São Paulo, Emergência (2017), no Galpão Bela Maré, Rio de Janeiro, Quem não luta tá morto. Arte democracia utopia (2018), no Museu de Arte do Rio, Raça, classe e distribuição de corpos (2018), Minas (2019) e Educação pela pedra (2019), as três últimas na Fundação Joaquim Nabuco. É autor dos livros Local/Global. Arte em Trânsito (2005), ArteBra Crítica (2010) e Contraditório. Arte, Globalização e Pertencimento (2017), além de editor de Pertença, Caderno_SESC_Videobrasil 8, São Paulo (2012). Publica ensaios regularmente em coluna da Revista ZUM online (https://revistazum.com.br).

O mundo contemporâneo é fundado em violências. Colonialismo, escravidão, saques, guerras, extermínios, racismo, feminicídio, destruição do meio ambiente, pobreza absoluta. Muitas mais, que afetam desigualmente os corpos que o habitam. Mas este mundo é fundado também em resistências a tais violências. Resistências que revelam a proximidade entre gestos artísticos e políticos, ambos empenhados em refazer a vida em termos distintos. Em uma série de 16 encontros, serão apresentadas e discutidas obras de artistas contemporâneos que se deixam afetar por questões sociopolíticas centrais ao nosso tempo e as re(a)presentam para qualquer um”, diz Moacir dos Anjos.

ERNANI CHAVES

É Professor Titular da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal do Pará e Pesquisador 1B do CNPq. Doutor em Filosofia (USP), com estágios de Pós-Doutorado na Alemanha e na França. Especialista em Nietzsche, Walter Benjamin e Foucault, assim como das relações entre Psicanálise e Estética, é autor de Foucault e a Psicanálise, No Limiar do Moderno: Estudos sobre Nietzsche e Benjamin e Foucault e a Verdade Cínica. Autor de artigos e capítulos de livros no Brasil, Alemanha, Itália, França, Espanha, Portugal e Estados Unidos. Foi responsável pelo prefacio e tradução para a Editora Autêntica de escritos de Freud como Arte, literatura e os artistas. Obras incompletas de Sigmund Freud (2015) e O Infamiliar (2019), ao lado de Pedro Heliodoro Tavares e Romero Freitas, da mesma editora.

O primeiro curso ocorrerá em nossa plataforma de estudos online, entre 20 de abril e 24 junho, às terças e quintas feiras, das 19hs as 20:30hs. Serão 20 encontros, totalizando 30h de aulas.

EnglishPortuguese