Conversa de Bar(r)

Crítico, curador e professor da USP, Tadeu Chiarelli estreia coluna na ARTE!Brasileiros

Os desenhos de Tarsila em Itu e a jornada peculiar da...

Exposição "Estudos e Anotações" apresentará 203 obras na Fábrica de Arte Marcos Amaro, com curadoria de Aracy Amaral e Regina Teixeira de Barros

A obra de Anna Bella Geiger e o colapso do autorretrato...

Reflexões a partir do contato direto com a mostra individual "Brasil nativo, Brasil Alienígena", que ocupa o Masp e o Sesc Avenida Paulista

Em processo de assentamento, FAMA causa fascínio e é um presente...

Com exposição curada por Aracy Amaral e coleção de vocação pública, Fábrica de Arte Marcos Amaro tem tudo para se transformar numa usina de arte e conhecimento

O doutor e os monumentos

Em 2020, a primeira maquete do "Monumento às Bandeiras", de Brecheret, completará 100 anos. A partir de uma tela de Almeida Jr., Tadeu Chiarelli expõe as demandas da burguesia paulistana para homenagear os bandeirantes, contrapondo-as aos novos posicionamentos contra os bandeirantes e o próprio Monumento

“Vocês acham os portugueses brancos?” A arte “afro-brasileira” como construção

“Levando-se em conta o nível de seu alcance historiográfico e crítico, entendi estar frente a um dos principais acontecimentos no campo da história da arte no Brasil dos últimos anos”, escreve Tadeu Chiarelli sobre "Arte afro-brasileira: Altos e baixos de um conceito”, livro de Renato Araújo da Silva; leia a resenha e acesse a obra

O antigo MAM, o MAC USP e a coleção do ex-banqueiro

Ex-diretor do MAC USP, Tadeu Chiarelli traça em sua coluna um paralelo entre a criação do museu, em 1963, a partir da doação da coleção do antigo MAM-SP, e o período recente em que o museu foi responsável pela guarda da Coleção Banco Santos

PretaAtitude. Emergências, insurgências, afirmações: arte afro-brasileira contemporânea

O colunista Tadeu Chiarelli escreve sobre a exposição PretAtitude, em cartaz no Sesc Vila Mariana

Dora Longo Bahia: de frente pro crime

Tadeu Chiarelli escreve sobre exposição da artista, em cartaz na Galeria Vermelho

Apesar de montagem confusa, “À Nordeste” aponta para questões urgentes

Com disposição para permanecer naquele espaço labiríntico, o público encontrará bons motivos para visitar a exposição