Imagem horizontal, colorida. Vista da exposição SANTÍDIO PEREIRA INCISÕES RECORTES ENCAIXES, na Fundação Iberê Camargo. Sala com paredes brancas e chão de madeira. À esquerda, dois quadros grandes, lado a lado; à direita um quadro de mais de 2 metros de altura; ao centro um quadro grande, de cerca de 1 metro, ao lado de uma sequência de 6 pequenos quadros. Todos os trabalhos são xilogravuras de bromélias.

Santídio Pereira expõe na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre

Com obras que revisitam memórias da infância, "Santídio Pereira: incisões recortes encaixes" é primeira individual do artista em um museu

A palavra como troca e a partilha do sensível

Uma antologia de obras que destacam a importância da palavra como forma de alcançar o outro na obra da artista Ana Teixeira em mostra no Centro Universitário Maria Antônia

Casa Fiat traz, em maio, mostra de Botticelli em Belo Horizonte

Espaço mineiro anuncia, para maio, exposição de um dos principais pintores renascentistas italianos
Limbo

LIMBO, a existência humana colocada em xeque

A retrospectiva de José Rufino confronta a criação espontânea e as forças atemporais que atuam no processo artístico. A exposição Limbo vai até 18/11.
Obra OGUM, da série Oferenda à cabeça, de Ayrson Heráclito, exposta em YORÙBÁIANO

“Yorùbáiano”, individual de Ayrson Heráclito, chega à Pinacoteca de São Paulo

Articulando culturas diversas que aportaram no Brasil a partir da diáspora africana, um amálgama único de saberes ancestrais, ensinamentos, ritos e visões de mundo...

“Moderno Onde? Moderno Quando?”: Aracy Amaral e Regina Teixeira de Barros...

A arte!brasileiros visitou a exposição, em cartaz até dezembro de 2021, e conversou com as curadoras para entender mais a fundo os conceitos e reflexões propostos; assista ao vídeo

As raízes de Sônia Gomes

Com curadoria de Amanda Carneiro, a artista expõe obras no MASP e na Casa de Vidro, ambos edifícios de Lina Bo Bardi
Bem Me Quer, Mal Me Quer (2011), Sidney Amaral, exposta em VIVER ATÉ O FIM O QUE ME CABE - SIDNEY AMARAL: UMA APROXIMAÇÃO

Carta a Sidney Amaral

No contexto da realização da mostra “Viver até o fim o que me cabe! - Sidney Amaral: uma aproximação”, no Sesc Jundiaí, artista e curador Daniel Lima escreve uma correspondência direcionada ao artista paulistano, falecido em 2017
Pintura horizontal "Rio Amazonas", de Aguilar, em meio à uma sala de exposição.

Os 60 anos de arte de Aguilar

Em nova mostra com 69 telas o artista revela uma cosmologia que abrange desde os filósofos da antiguidade até a defesa das florestas e rios amazônicos

Uma autobiogafia de Nazareth Pacheco na Galeria Kogan Amaro

Artista apresentou na exposição "Registros/Records" seu trabalho de memória feito ao longo da vida
EnglishPortuguese