Galeria Solidária
Levi Bianco. Fátima, Portugal, 2015. Foto: Divulgação.

“No começo da pandemia percebi que havia muitos colegas com os trabalhos simplesmente zerados”, conta a fotógrafa Mônica Zarattini, uma das organizadoras do projeto 20 X 20 Galeria Solidária de Fotografia. A partir dessa questão Zarattini propôs ao coletivo Fotógrafos pela Democracia um projeto que conseguisse juntar esses profissionais e acudisse quem precisasse. Ao coletivo, foi somada a ARFOC-SP (Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do estado de São Paulo) para ser a realizadora da campanha, como entidade e a responsável pela contabilidade do projeto.

A partir disso, foram pensados três modelos de participação: os que doam o valor de venda da foto em 100%; os que doam 50% e recebem 40%; e os que doam 50% e recebem 40% e ainda se inscrevem para receber um auxílio que vem justamente da divisão do todo arrecadado. “‘Ninguém solta a mão de ninguém’, esse é nosso lema”, afirma Zarattini.

As fotografias selecionadas por Zarattini e Toni Pires são exibidas no Instagram do projeto, que já conta com mais de 230 fotos submetidas. Entre os participantes estão tanto novos talentos quanto fotógrafos renomados como: Nair Benedicto, Gal Oppido, Cristiano Mascaro, Bob Wolfenson, Rogério Reis, Claudio Edinger, Elza Lima , Cássio Vasconcelos, Rogério Assis, Rosa Gauditano, João Roberto Ripper e Araquém Alcântara.

O valor único da foto é R$ 220,00; em seu primeiro mês de campanha, a galeria solidária vendeu 94 fotografias e arrecadou R$ 20.680,00. Assim, beneficiou com R$ 737,00 cada um dos 16 fotógrafos inscritos para receber o auxílio devido à paralisação de suas atividades por conta da pandemia do Covid-19. Também destinou mais de R$ 3.557,00 aos 18 participantes que tiveram 49 fotos vendidas e participam com doação de 50% do valor da venda.

“A situação de crise sanitária e crise política em que os brasileiros se encontram tem feito com que muitos profissionais se desanimem. Medo, apreensão já são sintomas que surgem em qualquer pandemia”, afirma Zarattini sobre as barreiras emocionais impostas a esses profissionais que geralmente estariam à frente da notícia. Ela complementa, ao lamentar a reação brasileira à crise: “No caso do Brasil sofremos mais ainda pois o presidente não acredita na ciência, zomba da dor dos parentes que se foram e a todo momento coloca a tal ‘crise financeira’ como o fantasma que vai te derrotar”. Para ela, essa somatória de fatores faz com que muitos profissionais se desestabilizam: “Estarmos juntos, numa galeria, nos torna mais fortes.”

Segundo a organizadora, ainda é cedo para definir o futuro da galeria. Caso ela continue depois da data limite da campanha, 20 de outubro, seguirá novos moldes através de outras campanhas. Apesar disso, ela conta que a organização gostaria de realizar uma grande exposição com as obras participantes, assim que reuniões forem novamente possíveis.

“Os fotógrafos têm se arriscado para trazer as informações aos que estão em casa. Temos que agradecer aos profissionais de saúde e também a esses fotojornalistas que se arriscam. É praticamente uma cobertura de guerra, os que estão no front correm muito risco”

A convocatória para participar da 20 X 20 Galeria Solidária teve início 20 de maio vai até 20 de outubro, “quanto mais cedo o fotógrafo ingressa, mais chances tem de vender”, reforça Mônica.

Leia também: o trabalho de fotógrafos que se esforçam para fornecer profundidade à documentação da crise de Covid-19 pelo mundo, arte!brasileiros apresenta uma seleção de trabalhos notáveis realizados durante a pandemia. Neste link.

 

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome