300 Desenhos reúne artistas em torno de causas humanitárias

Projeto criado na quarentena reúne nomes emergentes e consolidados para arrecadar fundos para três importantes organizações que atuam durante a pandemia do coronavírus

Detalhe de "Árvore" (2013), Manuella Karmann doado para o 300 desenhos

Com o objetivo de arrecadar recursos para apoiar três importantes organizações filantrópicas – que estão desenvolvendo ações diretas durante a pandemia do Covid-19 -, o projeto 300 Desenhos reuniu um grupo voluntário de profissionais das artes visuais que conta com artistas em diversos estágios de carreira. As únicas diretrizes foram que o trabalho doado fosse um desenho, inédito ou não, em folha A4, permitindo a interpretação livre de cada participante e resultando em um corpo de trabalho coletivo e diverso.

 

 

Entre os convidados estão artistas consagrados como Ernesto Neto, Artur Lescher, Guto Lacaz e Jac Leirner, além de nomes emergentes como Anna Costa e Silva, Mariana Palma, Mano Penalva e Manuela Costa Lima.

Como funciona?

Ao contribuir com uma cota única de R$ 1000, os apoiadores do projeto são direcionados para o site do projeto, onde poderão visualizar as obras doadas e descobrir qual será a sua. Um ponto interessante é que a obra não é escolhida pelo apoiador, mas sim por um algoritmo da própria iniciativa. Assim, cada desenho é, de certa forma, designado ao seu dono como se a obra escolhesse o apoiador. Não há limite de colaborações, no entanto.

A campanha vai até o dia 10 de maio e quando for finalizada os fundos recolhidos serão doados em partes iguais para as três organizações filantrópicas escolhidas: APIB, CUFA e Habitat.

As organizações apoiadas

A APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) é referência no movimento nacional indígena. Nasceu para defender os direitos indígenas, articulando e reunindo organizações de todas as regiões do país.

CUFA (Central Única das Favelas) é responsável pela criação e implementação de projetos culturais, artísticos, esportivos e educacionais nas favelas e periferias de todo o Brasil. Sua ação teve início há mais de 20 anos.

Habitat Brasil faz parte da mobilização internacional Habitat for Humanity. No país, a organização atua desde 1992 para propor e incidir em políticas públicas de acesso à moradia. Além disso, promove ações de capacitação e, através de ações de voluntariado e mobilização, busca envolver a sociedade na luta pelo direito à moradia adequada.

Organização

Os organizadores do 300 Desenhos são Amanda Rodrigues Alves, Alexandre Gabriel, Camilla Barella, Carolina Câmara, Efrain Almeida, Erika Verzutti, Fernanda Brenner, Magê Abatayguara, Mel Marcondes e Paula Signorelli.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here