Artista participa de exposição coletiva com Oliver Beer, Marc Couturier e Jean-Marc Ferrari.

Morando em Paris desde a década de 80, o brasileiro Julio Villani é um dos artistas que integram a exposição … Et l’obscur, na Abadia de Thoronet, na Provence, no sul da França. A mostra é organizada pelo Palais de Tokyo, que utiliza o prédio do século 12 para realizar atividades.

Em 2019, Villani já havia realizado uma exposição substanciosa na Galerie RX, em Paris. Em POINT À LA LIGNE, entre março e abril, ele apresentou uma série de trabalhos com traços que “são um meio de colocar a criação em movimento e tornar as fronteiras instáveis”, que transitaram entre a pintura, a escultura, a colagem e o bordado.

Na Abadia de Thoronet, construção que abrigou a ordem monástica Cisterciense a partir do século 12, Julio leva uma grande peça em bordado (On ne peut penser la clôture de ce qui n’a pas de fin), instalado de forma que ficasse atrelado ao teto de um dos cômodos do prédio, que costumava ser o dormitório, como um grande céu. É a maior obra nesse formato que o brasileiro já produziu, que reflete sobre “o sono de uma comunidade adormecida”.

 

Em texto sobre a exposição, o curador e crítico Jean de Loisy questiona: “Alguns dos círculos bordados apresentam interrupções da linha de onde os fios de lã escapam alargando aqui e ali as margens do trabalho para o chão: eles descem dos elementos bordados ou vão até eles? Quem, pano ou visitante, alimenta o outro em sonhos?”. Além dessa intervenção, Villani criou um objeto de tubos de bronze com fio encerado, posicionado no teto da igreja, “uma intervenção quase diáfana, que depende de reflexo da luz nas varetas para ficar visível”, o artista explica.

Outros três artistas, Oliver Beer, Marc Couturier e Jean-Marc Ferrari também ocupam outros espaços do edifício na exposição. A proposta do Palais de Tokyo em levar artistas para ocuparem a abadia com seus trabalhos é orientado pela ideia de que as obras possam dialogar com a arquitetura do espaço, mas também com a memória espiritual em torno do local.

No Brasil, o artista terá duas exposições simultâneas que abrem no dia 15 de junho, uma na Galeria Raquel Arnaud e outra na Galeria Estação. Para a primeira galeria, ele leva bordados, pinturas e outros formatos, enquanto na segunda apresentará suas esculturas.


… ET L’OBSCUR
na Abadia de Thoronet, em Provence, França
até 22 de setembro

 

1 COMENTÁRIO

  1. Seria a realização de um sonho poder ver uma exposição desse conceituado artista…Pois tbm sou artista plástica e escrevo meu décimo segundo livro…

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome