Conhecido por seu trabalho com alta gastronomia, Sergio Coimbra decide se dedicar agora à criação de obras de fine art. Depois de fotografar para dezenas de livros de renomados chefs ao redor do mundo e de colaborar para trabalhos de artistas como Ai Weiwei, Sergio cria sua primeira série para uma exposição individual em galeria: Supernova, que acontece até 28 de junho na Galeria ArtEEdições, em São Paulo.

Pensando na técnica de spin, Sergio teve a ideia de construir uma máquina que desempenhasse o meso tipo de rotação, mas com temperos e outros materiais culinários. Optou por fazer essa experimentação na cozinha do chef Massimiliano Alajmo de Padova, na Itália, e passou quase duas semanas numa espécie de laboratório.
O efeito criado com a espiralização de farinha, pimenta, líquidos e outros materiais fez com que Marcello Dantas, convidado pelo artista para fazer a curadoria da exposição, visse o raro fenômeno estelar da Supernova nas fotografias. Assim, surgiu a série Supernova, que foi acrescida de uma instalação, colocada em exibição na SP-Arte. Uma espécie de planetário com quatro projetores reproduz as fotografias de Sergio em um domo. As pessoas se deitam em um estofado e podem observar as supernovas criadas pelo artista. A experiência nessa obra, intitulada Supernova – Domo pode ser conferida até 7 de abril na feira.

Cadastre-se na nossa newsletter

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome