A obra "Sun & Sea". FOTO: Andrej Vasilenko

Em uma Bienal de Veneza marcada por inédita paridade de gêneros, com número semelhante de artistas homens e mulheres na mostra principal, o pavilhão da Lituânia levou o Leão de Ouro ao apresentar uma grande obra – misto de ópera, instalação e performance – criada pelas artistas Lina Lapelyte, Vaiva Grainyte e Rugile Barzdziukaite.

Intitulado Sun & Sea, o trabalho transformou o pavilhão situado na Marina Militar, fora do recinto tradicional da bienal e dos trajetos mais habituais, em uma praia artificial, numa crítica às formas de lazer atuais e à pressão exercida sobre o meio ambiente. Enquanto o júri destacou “o uso inventivo do local”, as artistas explicaram que o trabalho desenha um paralelo entre a fragilidade do corpo humano e a do planeta terra.

Na cerimônia de premiação realizada no sábado foi ainda atribuída uma menção especial ao pavilhão da Bélgica, por fornecer em sua exposição “uma visão alternativa de aspetos pouco reconhecidos das relações sociais na Europa” e o Leão de Ouro para melhor participação na mostra principal ao artista norte-americano Arthur Jafa. Com o filme The White Álbum, o artista levanta questões sobre racismo e preconceito de uma forma inesperada.

Veja aqui fotos do pavilhão da Lituânia e das artistas vencedoras:

 

Cadastre-se na nossa newsletter

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome