'Memento Mori', produzida por Ballen em 2012.

Nova-iorquino radicado, desde a década de 1970, em Johannesburgo, na África do Sul, Roger Ballen é reconhecido por suas imagens um tanto sombrias, um tanto surrealistas. Recentemente, ganhou uma ala própria no Zeitz Museum of Contemporary African Art, na Cidade do Cabo. Agora, uma exposição do fotógrafo chega ao Brasil e se torna a primeira mostra internacional do Museu de Fotografia, em Fortaleza. Graduado em psicologia pela Universidade da Califórnia, Berkeley, gosta de rotular seu trabalho como uma investigação do “lado das sombras” nas pessoas.

A abertura da mostra está marcada para dia 8 de setembro e se estenderá até janeiro de 2019. De acordo com a coordenadora do museu, Fernanda Oliveira, dentre as atividades que integram a exposição está uma conversa com o artista. Ela define Ballen como um artista de “identidade muito única” e revela a admiração do conselho administrativo do museu por por ele.

Fotografia ‘Take off’, também de 2012

Criador do estilo “ballenesco”, Roger fez questão de acompanhar todo o processo de concepção, tendo ele mesmo feito as impressões das 55 obras que estarão em exibição: “Ele é extremamente participativo, gosta de acompanhar de perto cada detalhe”, destaca Fernanda. Além da palestra, ele fará uma visita guiada para o público no dia da abertura.

Cadastre-se na nossa newsletter

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome