Trabalho de Daniel Senise na mostra. Foto: Divulgação

Com uma nova obra em dimensão monumental e um conjunto de trabalhos pouco vistos ou inéditos que apresentam intervenções sobre fotografias, o artista Daniel Senise apresenta no Instituto Tomie Ohtake a mostra Todos os Santos, em cartaz até 13 de outubro.

Segundo Daniela Labra, curadora da exposição, o conjunto mostra um imbricamento de linguagens resultante do pensamento pictórico de Senise. “Desdobram sobre superfícies e imagens fotográficas o discurso acerca de memória, espacialidade, representação, materialidade, história da arte ocidental e filosofia que definem a pós-pintura de Daniel Senise”, afirma Labra em texto de apresentação da mostra.

O trabalho em grande dimensão, com 5 por 3,66 metros, contém fragmentos de matéria queimada recolhidos do interior do Teatro Villa-Lobos, no Rio de Janeiro, destruído pelo fogo em 2011 e ainda interditado. “Nesta obra, a fotografia sai e entra o espelho como suporte, refletindo por entre restos carbonizados o real invertido que habita seu lado de fora”, diz a curadora no texto.

Nos outros trabalhos, realizados de 2005 a 2019, surgem fotografias de espaços como o antigo galpão da Estrada de Ferro Sorocabana, o Hospital Matarazzo, ou locações na Bahia e em Nova York, entre outras. As fotos foram feitas ou dirigidas por Senise com a colaboração de Mauro Restiffe, Caetano Dias, Tiago Barros e Fernando Laslo. Para a curadora, “camadas de temporalidade se sobrepõem configurando uma discussão sobre fisicalidade da matéria, representação, imagem, real, existência”.

Daniel Senise – Todos os Santos
Instituto Tomie Ohtake – Av. Faria Lima 201
Até 13 de outubro de 2019
Entrada gratuita

 

Inscreva-se em nossa newsletter

   

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome