Tiago Carneiro da Cunha (1973) Banana, 2019
Tiago Carneiro da Cunha, Banana, 2019

A exposição A Burrice dos Homens, na galeria Bergamin & Gomide, propõe uma reflexão aberta sobre o uso da sátira e dos estereótipos, como pontos de partida para observações críticas acerca de dinâmicas sociais arraigadas que precisam ser reavaliadas. Ela parte de uma série de conversas da curadora Fernanda Brenner, diretora do espaço Pivô, com o artista Tiago Carneiro da Cunha, O título da exposição é inspirado pela obra A Burrice dos Homens, do paulista José Antônio da Silva.

Para Fernanda, em texto de apresentação, a exposição sugere “uma procura compartilhada por artistas de diferentes gerações que (…) optam por habitar a tênue linha entre o cômico, o trágico, o melancólico e o sedutor quando se propõem a representar e a discutir criticamente os códigos visuais que constituem uma ideia de identidade cultural brasileira ou, mais amplamente, da região que se convencionou chamar de América Latina no mundo globalizado e do chamado “circuito internacional da arte contemporânea””.

Na exposição, o público pode conferir obras de artistas de várias épocas, como Adriano Costa, Amadeo Luciano Lorenzato, Ana Prata, Artur Barrio, Cabelo, Cristiano Lenhardt, Glauco Rodrigues, Ivan Cardoso, Ismael Nery, Jac Leirner, Jarbas Lopes, José Antonio da Silva, Leda Catunda, Martin Kippenberger, Oswaldo Goeldi, Rogerio Reis, Tiago Carneiro da Cunha, Wilma Martins e Yuli Yamagata.


A Burrice dos Homens (curadoria de Fernanda Brenner)
Galeria Bergamin & Gomide 
até 20 de julho de 2019

Cadastre-se na nossa newsletter

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome