Foto horizontal, colorida. Em meio à exposição BEATRIZ MILHAZES - AVENIDA PAULISTA, dois bailarinos dançam. Ele usa uma camisa branca e uma calça preta. Ela usa um vestido vermelho de mangas longas. Ambos estão descalços. A performance é parte da programação da PAULISTA CULTURAL.
O MASP apresenta o registro audiovisual da performance de dança “Avenida Paulista - Gamboa III’, realizada na exposição "Beatriz Milhazes: Avenida Paulista" por intérpretes da Márcia Milhazes Companhia de Dança. Foto: Eduardo Ortega

Com ações voltadas a artes visuais, teatro, música, dança, literatura, histórias em quadrinhos e fotografia, a Paulista Cultural reúne sete grandes instituições localizadas na Avenida Paulista, em São Paulo, para uma ampla programação digital gratuita entre os dias 29 de junho e 3 de julho. O festival é organizado por uma parceria entre Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Japan House São Paulo, MASP e Sesc Avenida Paulista.

Em sua primeira edição, realizada em março de 2018, a iniciativa reuniu mais de 40 mil pessoas, chegando a 46 mil no ano seguinte. Já a edição de 2020 foi cancelada em decorrência da pandemia. Agora, retorna em formato digital. As atividades propostas pelas instituições são transmitidas pelas redes sociais da Paulista Cultural e ficarão disponíveis posteriormente em seu canal de YouTube

A programação teve início com a estreia de As Janelas da Paulista. Inspirada na exposição WINDOWOLOGY – Estudo de janelas no Japão, em cartaz até 22 de agosto na Japan House, a série trata da relação dos sete edifícios culturais com a icônica avenida paulistana, através de suas janelas.  

A atividade não é a única a se conectar com o calendário presencial de uma das instituições participantes. Enquanto o Sesc faz uma imersão em videodocumentação na exposição Oficina Molina – Palatnik, a Casa das Rosas e o IMS promovem bate-papos com curadores e artistas de mostras atualmente em cartaz – o primeiro, em torno de Coestelário, na Casa das Rosas, acontece no dia 29 às 19h; já o segundo, no dia 30 às 20h, é sobre a exposição Mario Cravo Neto: Espíritos sem nome, e conta com a participação do coordenador de fotografia do Instituto Moreira Salles, Sérgio Burgi.

O Itaú Cultural faz a conexão entre presencial e virtual ao abordar as trajetórias de Chiquinha Gonzaga e Ivone Lara em uma vivência online na Ocupação Chiquinha Gonzaga e ao promover a prática digital Experiência: Obras e Processos de Beatriz Milhazes. A exposição da artista, feita conjuntamente com o MASP ganha foco também na performance de dança Avenida Paulista – Gamboa III, realizada por intérpretes da Márcia Milhazes Companhia de Dança em meio às obras expostas no Museu de Arte de São Paulo.

A programação da Paulista Cultural ainda contempla uma série de cursos e oficinas, bate-papo sobre práticas pedagógicas, atrações voltadas para o público infantil, bem como apresentações de performances e shows. Para saber mais, confira o calendário completo no site da iniciativa.

Inscreva-se em nossa newsletter

   

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome