INACABADA, Balé da Cidade de São Paulo, coreografia de Ihsan Rustem a partir de sinfonia de Schubert. Foto: Stig de Lavor
Registro de "Inacabada", coreografia de Ihsan Rustem a partir da sinfonia de Franz Schubert, dançada pelo Balé da Cidade de São Paulo. Foto: Stig de Lavor

O Complexo Theatro Municipal, em São Paulo, terá a dança como seu principal foco neste mês de setembro. Tem início hoje (2/9) uma série de oito apresentações de coreografias inéditas do brasileiro Alejandro Ahmed, conhecido por seu trabalho à frente da Cena 11 Cia. de Dança, e do inglês Ihsan Rustem, para obras de John Cage e Schubert, respectivamente. Os espetáculos terão execução ao vivo da Orquestra Sinfônica Municipal, com regência do maestro Alessandro Sangiorgi.

Ahmed leva ao Municipal sua interpretação para a música Sixty-Eight, de Cage, enquanto que Rustem apresenta no palco sua coreografia para a Sinfonia em Si menor, Inacabada, do compositor alemão. Em comunicado enviado pelo Complexo, a diretora-geral Andrea Caruso Saturnino destaca “a expertise e competência” de ambos coreógrafos, que acumulam em suas trajetórias “trabalhos consolidados tanto no que concerne às suas propostas artísticas, quanto às suas experiências”.

Já Cassi Abranches, diretora artística da companhia de dança, ressalta que se sentem lisonjeados com a participação de Ahmed, coreógrafo com um “trabalho absolutamente marcante”. Sobre Rustem, a diretora lembra que o Balé não fazia colaborações internacionais desde 2018, quando foi montado Deranged, do coreógrafo austríaco Chris Haring, com inspiração na canção I’m deranged, de David Bowie.

Com 15 bailarinos em cena, as coreografias para a sinfonia Inacabada têm movimentos intrigantes e intrincados, marcados pela ideia de impermanência e mistério. Os figurinos, inspirados nos séculos 19 e 20, também aludem a uma noção de incompletude, numa leitura contemporânea de trajes de época, assinada por Cassiano Grandi. Já a iluminação fica a cargo de Caetano Vilela.

Em Sixty-Eight, obra escrita por Cage no início dos anos 1990, Ahmed propõe uma “coreografia que se auto-organiza através de um consenso de restrições que a gente estabelece e que faz com que as possibilidades não sejam simplesmente pré-determinadas pela autoridade” dele. Com 12 bailarinos no palco, distribuindo-se em rampas, o trabalho coreográfico se orienta a partir dos compassos de metrônomo luminoso, criado pelo artista Diego de Los Campos. Os figurinos são de Karin Serafin, com a assistência de Juliana Laurindo. A iluminação foi concebida por Mirela Brandi.

SERVIÇO

Sixty-Eight, de John Cage, com coreografia de Alejandro Ahmed

Sinfonia em Si menor, Inacabada, de Franz Schubert, com coreografia de Ihsan Rustem

Theatro Municipal: Praça Ramos de Azevedo, s/n – República, São Paulo – SP
Horários: 2/9 (20h), 3/9, 4/9 e 7/9 (17h), 8/9 e 9/9 (20h) e 10/9 e 11/9 (17h)
Ingressos: R$ 10,00 a R$ 80,00
Classificação: 18 anos

 

 

Cadastre-se na nossa newsletter

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome