Still de
Still de "Sertânia" (2020), de Geraldo Sarno. Foto: Divulgação.

Até dia 5 de maio, o CineSesc exibe, dentro da série Cinema #EmCasaComSesc, a programação do 47º Festival Melhores Filmes. As obras selecionadas ficam disponíveis na plataforma do Sesc Digital até o fim da programação, com excessão de O Jovem Ahmed (Luc Dardenne, Jean-Pierre Dardenne, 2019) e Retrato de Uma Jovem em Chamas (Céline Sciamma, 2020), que serão exibidos nos dias 30 de abril e 1º de maio, respectivamente, e ficarão disponíveis por apenas 24 horas. 

O festival ainda conta com a Faixa Especial Abril Indígena, onde serão exibidos os filmes brasileiros Serras da Desordem (2006), de Andrea Tonacci, e Martírio, (2017), de Vincent Carelli, Tatiana Almeida e Ernesto de Carvalho – premiados em edições anteriores do Melhores Filmes. O projeto Abril Indígena integra o Programa Diversidade Cultural do Sesc São Paulo, que aborda questões relativas aos povos originários, com objetivo de valorizar e difundir a diversidade cultural no Brasil.

Confira algumas indicações do que não perder (clique nos títulos para assistir ao trailer dos filmes):

 

A Febre (2020)

Dir.: Maya Da-Rin | 98 min | Ficção

Detalhe do pôster do filme "A Febre" (2020), de Maya Da-Rin. Foto: Divulgação.
Detalhe do pôster do filme “A Febre” (2020), de Maya Da-Rin. Foto: Divulgação.

Justino, um indígena de 45 anos, trabalha como vigilante em um porto de cargas e vive em uma casa modesta na periferia de Manaus. Desde a morte da sua esposa, sua única companhia tem sido sua filha Vanessa, mas ela está de partida para estudar medicina em Brasília. Sob o sol escaldante e as chuvas tropicais, Justino esforça-­se para manter-­se concentrado no trabalho.

Com o passar dos dias, ele é tomado por uma febre forte. Em seus sonhos, uma criatura vagueia perdida pela floresta. Na televisão, o noticiário fala de um animal selvagem que ronda o bairro. Justino acredita que está sendo seguido, mas não sabe se quem o persegue é um animal ou um homem.

A História da Eternidade (2015)

Dir.: Camilo Cavalcante | 121 min | Ficção

Em um vilarejo fincado no Sertão, Cego Aderaldo e Querência, Aureliana e Geraldo, Alfonsina e João protagonizam três histórias de amores brutos em uma epopéia romanesca que se desdobra em vida nova. O toque de uma sanfona, um mar imaginário, um temporal, entre outros elementos metafóricos, conduzem o espectador através de uma narrativa lírica, cujo desfecho margeia um sentimento de dor ou de alegria, de desespero ou de esperança.

Com Amor, Van Gogh – O Sonho Impossível (2019)

Dir.: Miki Wecel | 60 min | Documentário

Um documentário que mostra em detalhes a difícil jornada de dois cineastas tentando alcançar um sonho impossível: criar Com Amor, Van Gogh, o primeiro longa-metragem de animação da história do cinema feito completamente com pinturas, e que foi indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro de melhor animação. Realizado a partir de incríveis 65 mil pinturas a óleo sobre tela por uma equipe de 115 pintores, que usaram a mesma técnica do famoso pintor holandês, Com Amor, Van Gogh foi lançado em 2017, após mais de uma década em produção.

Honeyland (2019)

Dir.: Ljubomir Stefanov, Tamara Kotevska | 85 min | Documentário

Aninhada em uma região montanhosa isolada no interior dos Bálcãs, Hatidze Muratova vive com sua mãe doente em uma vila sem estradas, eletricidade ou água corrente. ela é a última de uma longa fila de apicultores selvagens, consumindo um mel vivo da agricultura em pequenos lotes para serem vendidos na cidade mais próxima – a apenas quatro horas a pé. A existência pacífica de Hatidze é perturbada pela chegada de uma família itinerante, com seus motores rugindo, sete crianças indisciplinadas e rebanho de gado. Hatidze cumpre com otimismo a promessa de mudança com o coração aberto, mas não demora muito para que um conflito evolua, expondo a tensão fundamental entre natureza e humanidade, harmonia e discórdia, exploração e sustentabilidade.

Maria Luiza (2019)

Dir.: Marcelo Díaz | 80 min | Documentário

Maria Luiza da Silva é a primeira transexual na história das forças armadas brasileiras. após 22 anos de trabalho como militar, foi aposentada por invalidez. O filme investiga as motivações para impedi-la de vestir a farda feminina e a sua trajetória de afirmação como mulher trans, militar e católica.

Martin Eden (2019)

Dir.: Pietro Marcello | 129 min | Ficção

Martin Eden (luca marinelli) é um jovem escritor de baixa renda que entra em conflito com a burguesia. Encarando um novo mundo, ele se apaixona e descobre como escritores são vistos em uma sociedade aristocrática. Se sentindo deslocado de tudo que faz parte de sua essência, o rapaz percebe que não há como voltar para o que costumava ser. Enquanto tenta publicar alguma obra de grande sucesso, Martin se questiona sobre o mercado literário, a sociedade e sua própria natureza como criador.

Sertânia (2020)

Dir.: Geraldo Sarno | 97 min | Ficção

Cena do filme "Sertânia", de Geraldo Sarno. Foto: Divulgação.
Cena do filme “Sertânia” (2020), de Geraldo Sarno. Foto: Divulgação.

Antão é ferido, preso e morto quando bando de jagunços de Jesuíno invade a cidade de Sertânia. O filme projeta a mente febril e delirante de Antão, que rememora os acontecimentos.

Clique aqui para acessar o festival.

Inscreva-se em nossa newsletter

   

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome