O tempo completa: Burle Marx, clássicos e inéditos Casa Roberto Marinho , Rua Cosme Velho, 1105 - Rio de Janeiro - Brasil
“O Tempo Completa: Burle Marx, clássicos e inéditos”, primeira mostra do acervo do Instituto Burle Marx, ocupará toda a área expositiva da Casa Roberto Marinho a partir de 30 de outubro. A exposição traz um mergulho profundo na obra de um dos mais importante paisagistas do século 20, com cerca de 130 peças entre desenhos, fotografias, plantas de projetos, croquis, maquetes, documentos e pinturas, inéditos e clássicos, de Roberto Burle Marx, selecionados pelos curadores Lauro Cavalcanti e Isabela Ono. A primeira exposição do acervo do instituto sem fins lucrativos, criado em 2019, deixa clara a contemporaneidade da narrativa que o paisagista, pintor, desenhista, escultor, litógrafo, serígrafo, designer de joias, explorador botânico, arquiteto e urbanista criou em parceria com seus colaboradores e transformou em missão ao longo de seus 85 anos de vida.

Funcionamento normal: terça a domingo, das 12h às 18h
Início da mostra: 30 de outubro de 2021
Término da mostra: 6 de fevereiro de 2022
#Burle Marx, #Instituto Casa Roberto Marinho
Iberê Camargo: Tudo te é falso e inútil Fundação Iberê Camargo , Av. Padre Cacique, 2000 - Porto Alegre, RS
[PRESENCIAL] FInalizada um ano antes de Iberê Camargo falecer, a série Tudo te é falso e inútil é considerada um dos momentos mais memoráveis de sua obra. As cinco pinturas que integram o conjunto, sendo uma delas proveniente de uma coleção particular, serão apresentadas juntas, pela primeira vez, juntamente a outras 44 obras do acervo da Fundação Iberê. A seleção, que gira em torno da série, destaca obras dos últimos anos da carreira do pintor, incluindo 14 pinturas e 35 guaches e desenhos realizados entre os anos 1990 e 1994.

Funcionamento normal: sexta a domingo, das 14h às 18h, mediante agendamento.
Início da mostra: 2 de outubro de 2021
Fim da mostra: 13 de fevereiro de 2022
#Iberê Camargo
Crônicas Cariocas Museu de Arte do Rio , Praça Mauá, 5, Centro - Rio de Janeiro
[PRESENCIAL] A exposição foi pensada para escutar e discutir o Rio de Janeiro que não está nos livros, mas que figura no imaginário coletivo daqueles que vivem e respiram a cidade em toda sua complexidade. A montagem dá vida às histórias cotidianas; relações com a vizinhança; festas; encontros dos ônibus lotados e calçadas. Por trás daquilo que é exportado ao mundo, propõe-se narrar o Rio que se embeleza e finge não ver os subúrbios. Ao todo, são quase 600 obras de arte — nos mais diversos suportes, como vídeos, objetos, instalações, fotografias e pinturas.

Funcionamento normal: Quinta-feira a domingo, 11h às 18h, mediante compra de ingressos
Início da mostra: 25 de setembro de 2021
Ouroboros sucuri Galeria Millan , R. Fradique Coutinho, 1360 - Pinheiros, São Paulo
[PRESENCIAL] Primeira exposição de Thiago Martins de Melo na galeria reúne 19 trabalhos inéditos, incluindo pinturas e esculturas, e traz um olhar curatorial retrospectivo sobre a produção do artista, bem como suas distintas narrativas ao longo do tempo. Com curadoria do islandês Gunnar B. Kvaran, mostra evidencia os múltiplos experimentos do artista sobre o ato de narrar e suas possibilidades na ampliação da técnica pictórica.

Funcionamento normal: Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 11h às 15h
Início da mostra: 9 de outubro de 2021
Fim da mostra: 6 de novembro de 2021
#Galeria Millan, #Thiago Martins de Melo
Composições para tempos insurgentes Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) , Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo, Rio de Janeiro - RJ
[PRESENCIAL] Coletiva curada por Beatriz Lemos, Keyna Eleison e Pablo Lafuente combina projetos comissionados com trabalhos dos acervos do museu e de outras coleções. Com cerca de cem obras, "Composições" propõe uma reflexão sobre processos de articulação de vida, a partir de diferentes identidades, temas, formatos e linguagens. A curadoria selecionou trabalhos de Adriana Varejão, Alberta Wittle, Bo Zeng, Brígida Baltar, Castiel Vitorino Brasileiro, Celeida Tostes, Dalton Paula, Daniel Steegmann Mangrané, Franz Krajcberg, Manauara Clandestina, Naomi Rincón Gallardo, Negalê Jones, Nelson Felix, Regina Vater, Tunga e Wanda Pimentel, entre outras e outros.

Funcionamento normal: Quintas e sextas, das 13h às 18h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Início da mostra: 9 de outubro de 2021, às 10h
Fim da mostra: 6 de fevereiro de 2022, às 18h
#Mostra Coletiva, #Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
Marina Saleme: “Partes” Mul.ti.plo Espaço Arte , Rua Dias Ferreira, 417, sala 206 - Leblon, Rio de Janeiro
[PRESENCIAL] A Mul.ti.plo inaugura a exposição Partes, da artista paulistana Marina Saleme. A mostra traz cerca de 60 obras em pequenos formatos pinçadas de uma numerosa série de desenhos e pinturas feitas por ela ao longo dos últimos três anos. A série de desenhos de Marina Saleme é o resultado de um obsessivo esforço de investigação da artista sobre uma mesma imagem: uma mulher sentada, encolhida, de cabeça baixa, numa atitude profundamente ensimesmada e impactante. De 2019 a 2021, a artista desenhou a mesma figura mais de 1.500 vezes, com tintas, cores, traços e suportes diferentes. Partes apresenta-se também como um recorte intimista da grande instalação que Marina Saleme apresenta no CCBB do Rio, no mesmo período, chamada Apartamento s. Os nomes remetem tanto a um espaço físico como a um espaço emocional: o sentimento de estar sozinho, apartado, sensação intensificada pela pandemia.

Funcionamento normal: Segunda a sexta, das 11h às 18h.
Início da mostra: 7 de outubro de 2021
Fim da mostra: 3 de dezembro de 2021
#Marina Saleme, #Multiplo, #Partes
“O Legado de Morandi” CCBB , Rua Álvares Penteado, 112 - Centro
[PRESENCIAL] Mostra reúne 57 obras, entre pinturas, fotos, colagem e instalação. 34 trabalhos são de Giorgio Morandi (1890-1964) e 23 de artistas que tem uma correlação com o trabalho do artista. Esse é um reencontro de Morandi com o Brasil, mais de 60 anos após o pintor receber o Grande Prêmio de pintura na IV Bienal de São Paulo em 1957. Com uma investigação profunda da cor e da luz permeando sutilezas, Giorgio Morandi se dedicou intensamente na pintura de naturezas-mortas, especialmente de conjuntos de garrafas. Seu estilo ficou marcado por uma obra que reflete sobre o tempo e as relações produzidas pelo olhar. Com curadoria da dupla Alberto Salvadori e Gianfranco Maraniello, a mostra reúne obras que vieram diretamente do Museo Morandi, localizado na cidade de Bolonha. O artista também participa da 34ª Bienal de São Paulo, que poderá ser visitada gratuitamente no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, no Parque Ibirapuera, até 5 de dezembro de 2021.

Funcionamento normal: Domingo a quarta, das 9h às 19h. Quintas aos sábados, das 9h às 20h.
Início da mostra: 22 de setembro de 2021
Fim da mostra: 22 de novembro de 2021
#CCBB, #CCBB SP, #Giorgio Morandi
[PRESENCIAL] CCBB RJ inaugura a exposição Apartamento s, com uma grande instalação da artista paulistana Marina Saleme, com 1500 obras, entre desenhos e pequenas pinturas, recentes e inéditos, produzidos nos últimos três anos, que tratam de temas como a espera, a solidão e a separação. As obras começaram a ser produzidas cerca de um ano antes da pandemia, mas ganharam um novo sentido com o isolamento.  Os trabalhos ocupam uma grande parede, de 5,70 por 14m, na Sala B, no segundo andar do CCBB RJ, do chão ao teto do espaço, formando uma imagem monumental e fragmentada. 
Conhecida pelas pinturas em grandes dimensões, a artista criou, para esta exposição, uma instalação com obras em pequenos formatos, que reproduzem uma mulher sentada, com as mãos nos ombros, a cabeça abaixada, as pernas e os pés tensos. Apesar de reproduzirem a mesma imagem, nenhum é igual ao outro. O nome da exposição, Apartamento s, tem dois sentidos, o de moradia e o de estar apartado.

Funcionamento normal: Domingo a quarta, das 9h às 19h. Quintas aos sábados, das 9h às 20h.
Início da mostra: 6 de outubro de 2021
Fim da mostra: 12 de dezembro de 2021
#CCBB RJ, #Marina Saleme
LINHA DE CHAMADA – Edith Derdyk Galeria ARTEFORMATTO , Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1364, Jardim Paulistano - São Paulo
[PRESENCIAL] A artista visual Edith Derdyk apresenta a mostra solo LINHA DE CHAMADA. A série de trabalhos inéditos, realizados entre 2020 e 2021, surgem a partir de uma pesquisa da artista sobre a Geometria Descritiva, técnica desenhística que surge em meados do final do século 18, provocando um impacto no desenvolvimento tecnológico na época da Revolução Industrial por facilitar a visualização de objetos fabricados e sua sistematização. LINHA DE CHAMADA “especula sobre a os métodos de representação de funcionamentos maquínicos, movidos por uma certa razão insana, frutos da abstração calcada na observação do real e sua projeção no modo de produzir objetos industriais, avalizando um modo de pensar a própria vida”, afirma a artista, que já escreveu vários livros sobre desenho.

Funcionamento normal: segunda a sexta, das 10h às 18h, sábado das 10h às 14h
Início da mostra: 16 de outubro de 2021
Fim da mostra: 20 de novembro de 2021
#Edith Derdyk, #Galeria ARTEFORMATTO
Latinamerica – Gabriela Noujaim Museu Nacional da República , Setor Cultural Sul, Lote 2 Esplanada dos Ministérios
[PRESENCIAL] "Latinamerica" é a primeira exposição individual da artista Gabriela Noujaim [Rio de Janeiro, 1983] em Brasília, em cartaz no Museu Nacional da República. Com curadoria de Sissa de Assis, a exposição reúne mais de dez gravuras e uma instalação com 78 máscaras cirúrgicas com a impressão em serigrafia de um mapa da América Latina em vermelho. Estará também na exposição o livro de artista “Latinamerica 2020”, uma caixa-experiência em edição limitada, trilíngue (port/ingl/esp), contendo serigrafias em vários suportes, textos um pendrive com o vídeo Mulheres Latinamericas 2020 (3′ 33″), que poderá ser visto em looping pelo público. Gabriela Noujaim é representada pela galeria carioca Simone Cadinelli Arte Contemporânea.

Funcionamento normal: sexta a domingo, das 10h às 16h
Início da mostra: 17 de setembro de 2021, às 10h.
Fim da mostra: 7 de novembro de 2021, às 16h.
#Gabriela Noujaim, #Latinamerica
10:00 - 16:00
De 17/10/2021
a 07/11/2021
Birico – Poéticas Autônomas em Fluxo SESC Bom Retiro , Al. Nothmann, 185.
[PRESENCIAL] O Sesc Bom Retiro exibe a exposição coletiva "Birico - Poéticas autônomas em fluxo", composta por obras de mais de 40 artistas, coletivos e grupos que têm em comum a vivência, preocupação social e atuação sociocultural na região central de São Paulo, no território da chamada Cracolândia, no bairro da Luz. As criações são de diversas linguagens artísticas, como lambe-lambes, fotos, peças sonoras, obras tridimensionais e peças gráficas. A exposição recebe 158 obras de artistas que participam de ações solidárias e coletivas existentes nesta região da cidade, além de intervenções poéticas, de reivindicação social, olhares coletivos a respeito do fazer artístico, da paisagem urbana e da resistência das pessoas e coletivos locais.

Funcionamento normal: Terça a sexta, das 14h às 20h. Sábados, das 10h às 16h
Início da mostra: 9 de setembro de 2021, às 10h.
Fim da mostra: 27 de fevereiro de 2022, às 16h
#birico, #sesc bom retiro
10:00 - 16:00
De 09/09/2021
a 27/02/2022
Antonio Dias / Arquivo / O lugar do trabalho Instituto de Arte Contemporânea (iac) , Av. Dr. Arnaldo, 126 - Consolação, São Paulo - SP, 01246-000
[PRESENCIAL] A exposição acompanha fragmentos e rastros materiais das estratégias, ao mesmo tempo políticas e estéticas, delineadas pelo artista durante a década de 1970. Com curadoria de Gustavo Motta, traz ao público notas, projetos, obras, cadernos, publicações, esboços e recortes – oriundos majoritariamente do arquivo de trabalho de Antonio Dias, recém-confiados ao IAC. Esses materiais jogam nova luz sobre os procedimentos de reengenharia subversiva da arte efetuados pelo artista – que configuraram intervenções decisivas no debate coletivo da vanguarda artística brasileira do pós-1964, e cujas reverberações críticas aparecem intensificadas no presente.

Funcionamento normal: Terça a domingo, das 10h às 18h.
Início da mostra: 1 de setembro de 2021, às 10h.
Fim da mostra: 19 de dezembro de 2021, às 18h
#Antonio Dias, #Instituto de Arte Contemporânea
Transmutação Galeria São Paulo Flutuante , Rua Estados Unidos, 2186 – Jd. América – São Paulo
[PRESENCIAL] Com curadoria da marchande Regina Boni e do artista Manu Maltez, peças selecionadas de Shoko Suzuki, Megumi Yuasa, Ivone Shirahata, Rafael Kenji e Nadia Saad integram a exposição que tem a cerâmica como protagonista. 

Funcionamento: Terças, das 14h às 18h; às quartas e aos sábados, das 10h às 18h
Início da mostra: 18 de setembro de 2021, às 10h
Fim da mostra: novembro de 2021
#Galeria São Paulo Flutuante
Há coisas entre nós que não dizemos em voz alta Galeria Kogan Amaro , Alameda Franca, 1054 Jardim Paulista, São Paulo, SP
[PRESENCIAL] Individual de Bruno Passos reúne pinturas e esculturas  que retratam experiências pessoais do artista em suas expedições pelo Brasil. Utilizando preceitos da pintura clássica com uma leitura contemporânea, Passos busca criar um trabalho sensorial, sobretudo acima da lógica descritiva, para assim convidar o público a sentir e estar presente.

Funcionamento normal: segunda a sexta, das 11h às 19h, e aos sábados, das 11h às 15h.
Início da mostra: 25 de setembro de 2021, às 11h
Fim da mostra: 30 de outubro de 2021, até às 15h
#Bruno Passos, #Galeria Kogan Amaro
Desarmonia Simone Cadinelli Arte Contemporânea , R. Aníbal de Mendonça, 171 - Ipanema, Rio de Janeiro - RJ
[PRESENCIAL] Primeira individual do artista paraense PV Dias, reúne trabalhos recentes e inéditos em que faz uma crônica visual do movimento popular tecnobrega, com suas festas futuristas, e gigantescas aparelhagens cinéticas. O curador Aldones Nino destaca que "esta é a primeira exposição individual de PV Dias e está marcada pela presença pictórica". O artista mostra pela primeira vez suas pinturas digitais, pinturas sobre papel e sobre tela, e animações. Estão também na exposição intervenções sobre registros históricos do fotógrafo português Felipe Augusto Fidanza (c. 1847 – 1903), uma referência entre os que atuaram no Norte do Brasil no século 19 e no início do século 20.
Visitação mediante agendamento prévio 
Início da mostra: 4 de setembro de 2021
Fim da mostra: 26 de novembro de 2021
#PV Dias, #Simone Cadinelli
14:04 - 14:05
De 04/09/2021
a 26/10/2021
“Jardim”, de Bruno Cançado CCBB Belo Horizonte ,
[PRESENCIAL] A exposição é composta pela mais recente produção do artista, com aproximadamente 12 esculturas realizadas a partir da experimentação com diferentes materiais, como concreto armado, asfalto, cimento branco, pó de telha, adobe, porcelana, e pedra. As obras exploram a vulnerabilidade e o afeto em materiais “duros” e urbanos. Elementos da construção civil, como colunas e vigas, aparentam frágeis e em transformação, propondo um jogo sensorial ao descolar nossa experiência do que nos é familiar.

Funcionamento normal: Quarta a segunda, das 10h às 22h.
Início da mostra: 22 de setembro de 2021, às 10h
Fim da mostra: 15 de novembro de 2021, até às 22h
#Bruno Cançado, #CCBB, #CCBB Belo Horizonte
Manuel Solano: Heliplaza Pivô , Av. Ipiranga, 200 - República, São Paulo - SP
[PRESENCIAL] A primeira exposição no Brasil de Manuel Solano (Cidade do México, 1987) apresentará uma série de trabalhos recentes inspirados na estética dos shopping centers, criados a partir das lembranças de sua juventude. A mostra tem curadoria  de João Mourão e Luís Silva.

Funcionamento normal: Quarta a sábado, de 13h às 19h.
Início da mostra: 5 de setembro de 2021, às 13h
Fim da mostra: 6 de novembro de 2021, até às 19h
#Manuel Solano: Heliplaza, #pivo
O que se degrada segue em frente Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) , Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo, Rio de Janeiro - RJ
[PRESENCIAL] A mostra de Ana Clara Tito marca o lançamento do projeto Supernova, que traça um panorama da produção artística contemporânea no Brasil. O programa de exposições individuais cria uma plataforma de obras comissionadas e mapeia as práticas que constituem a contemporaneidade em função de diversos contextos e múltiplas linguagens. A individual de Ana Clara Tito é focada em um trabalho específico que ela nomeia de “complexo, um tipo de obra que prefiro não chamar de instalação”. Apoiada neste conceito, as obras ocuparão as paredes e o piso da área expositiva do MAM Rio, criando um contínuo de objetos, materiais e composições.

Funcionamento normal: Quintas e sextas, das 13h às 18h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Início da mostra: 9 de outubro de 2021, às 10h
Fim da mostra:  6 de fevereiro de 2022, às 18h
#Ana Clara Tito, #MAM Rio
Beatriz Santiago Muñoz: Oriana Pivô , Av. Ipiranga, 200 - República, São Paulo - SP
[PRESENCIAL] Em sua primeira exposição individual no Brasil, Beatriz Santiago Muñoz apresenta Oriana – uma instalação audiovisual em vários canais baseada no livro As guerrilheiras, da escritora feminista Monique Wittig (1969) –, ocupando todo o espaço expositivo do Pivô. Desde a sua adolescência, a artista revisita o ambiente pungente criado pela autora francesa e, nos últimos anos, dedicou-se a reinterpretá-lo em um longa-metragem aberto e processual, em que mulheres importantes na comunidade e na vida de Santiago Muñoz são convidadas a habitar um espaço-tempo indefinido, proposto e conduzido por ela.

Funcionamento normal: Quarta a sábado, de 13h às 19h.
Início da mostra: 5 de setembro de 2021, às 13h
Fim da mostra: 6 de novembro de 2021, até às 19h
#Beatriz Santiago Muñoz, #pivo
[PRESENCIAL] Com curadoria de Gabriel Pérez-Barreiro, a mostra reunirá, na Galeria Millan e na Galeria Raquel Arnaud, uma seleção de nove artistas representados, ao redor do diálogo entre seus trabalhos e coleções. Dentre os artistas colecionadores, estão: Artur Barrio, Iole de Freitas, Paulo Pasta, Sérgio Camargo, Tatiana Blass, Thiago Martins de Melo, Tunga, Waltercio Caldas e Willys de Castro.

Funcionamento normal (Galeria Millan): Segunda a sexta, de 10h às 19h (até 15h nos sábados)
Funcionamento normal (Galeria Raquel Arnaud): Terça a sexta, de 11h às 19h (até 17h nos sábados)

Início da mostra: 25 de setembro de 2021, às 15h
Fim da mostra: 24 de janeiro de 2022, até às 18h
#Galeria Millan, #galeria raquel arnaud, #Vício Impune: O artista colecionador
1 3