Exposição "Latência"

ter14mai10:00dom14jul18:00Exposição "Latência"Exposição apresenta cerca de 250 obras, entre instalações, esculturas e audiovisual.Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), R. Alagoas, 903 – Higienópolis, São PAulo - SP

Detalhes

O Museu de Arte Brasileira da Faap inaugura a exposição Latência, do artista brasileiro Dee Lazzerini. Com curadoria de Laerte Ramos, a exposição apresenta cerca de 250 obras, entre instalações, esculturas e audiovisual.  Entre elas, 110 obras são em pequenos formatos, esculturas criadas em polioretano e ‘pinçadas’ por milhares de alfinetes, principal marca do artista.

“Latência é quando a coisa está para acontecer, um pouco antes do seu clímax”, explica o artista. “É um instante de tempo de suspensão absoluta antes do riso, do choro, do nascimento ou da morte”, afirma. O uso de milhares de alfinetes dá o tom da exposição e é sua marca registrada. “O alfinete para mim é a minha tinta. Significa uma síntese, é o início de toda a arte. Ao mesmo tempo pode ser uma arma afiada, um instrumento de costura, ou até mesmo um localizador de presença, um ‘pin’”, conta. E afirma que tem uma relação afetiva com o alfinete como material porque “todas as mulheres da minha família bordavam. Ele é frágil, mas ao mesmo tempo perfurante e pode ser agressivo”, conta.

A nanotecnologia e a arte

O artista, nascido em Belo Horizonte, em 1977, fez mestrado e doutorado em Engenharia Metalúrgica na área de Biomateriais. Dedicou-se ao estudo da nanotecnologia e desenvolveu um tipo de polioretano para fazer a aplicação dos alfinetes nas suas obras. Tem uma trajetória de 20 anos nas artes visuais. “Por muitos anos trabalhei com uma técnica chamada pontilhismo, mas com o passar do tempo esses pontos tiveram que ganhar corpo, ganhar forma, ganhar volume. A partir disso essas esculturas foram nascendo”, conta, sobre o processo criativo da atual produção.

Há, ainda, as esculturas da série Senhoras de pequenos espaços, que se apresentam como figuras com um contorno quase humano e sugestiva feminilidade. São obras que medem cerca de dois metros de altura cada uma, com a metade do corpo coberta por milhares de alfinetes e a outra metade esculpida em madeira. Em seguida, a instalação 250g – nome que sugere o peso médio de um coração humano – preenche a imensa parede do MAB com 80 corações alfinetados, cujo impacto convida o espectador a distanciar-se para colocá-los em seu campo de visão. Essas esculturas simbolizam os 80 países mais felizes do mundo, conforme lista da ONU.

Ao final da exposição está o registro audiovisual da performance Pacto, com uma escultura em formato de coração perpassado de um grande alfinete de ouro em um cubo transparente de resina. A cor vermelha que se enxerga é oriunda das hemoglobinas presentes no sangue do artista e seu marido, Renato Buratto, mostrando a força e a potência dessa união.

O artista é selecionado pelo programa Dan Acredita, da Dan Galeria, uma das mais tradicionais da capital paulista, para dar visibilidade para a produção artística de profissionais com uma trajetória sólida nas artes visuais e sem representação de galerias.

Serviço
Exposição | Latência
De 14 de maio a 14 de julho
Todos os dias, exceto às terças-feiras (fechado, mesmo aos feriados). Funcionamento das 10h às 18h, com última entrada às 17h30

Período

14 de maio de 2024 10:00 - 14 de julho de 2024 18:00(GMT-03:00)

Local

Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP)

R. Alagoas, 903 – Higienópolis, São PAulo - SP

Outros eventos

Como chegar