Lágrima
11:00 21 de agosto de 2021 to 17:00 25 de setembro de 2021

[PRESENCIAL] Mostra individual de Sônia Gomes reúne cinco trabalhos produzidos durante a pandemia em 2020 e gravita ao redor de um trabalho intitulado ‘Lágrima’. O tecido azul com detalhes brancos é cortado por um volume característico da escultura de Gomes, composto de diferentes texturas e formas em sua superfície. Conhecida por suas antagônicas combinações, a artista constrói o ponto de convergência entre todas as diferentes possibilidades e combinações das memórias impregnadas nos tecidos. Os trabalhos seguem um processo de destruição, sendo esse o primeiro momento do método de Gomes: ela rasga, amassa, quebra para então construir seus corpos, esse entrópico movimento é o que alimenta a radicalidade da artista, entendido por ela como fundamental. A perca do controle sobre as histórias que vivemos é o que Gomes reclama à mostra, a materialização dos sentimentos mais viscerais em forma de lágrima.

Por quarenta anos de produção, a artista torceu estruturas de aço com o movimento do seu corpo, preencheu essas estruturas com tecidos, esticou e suturou as superfícies desses corpos. Esse exercício de força começa sem um fim, é silencioso e aparentemente intuitivo, acompanha um pensamento não linear da escultora, que revela aos poucos possibilidades até antes desconhecidas para um corpo, resultando em o que ela chama de ‘uma abstração radical da imagem’. Seu trabalho é carregado de memória, mas também de um método e sequência de detalhes que envolvem instrumentos, materiais de trabalho e estudos antes do seu início. O que por vezes é entendido como intuição é na verdade uma conversa entre a artista e o seu método, essa rigorosa regra seguida em seu ateliê é também fundamentalmente fluida e poética.

Funcionamento: Terça a sexta, das 11h às 18h; sábados, das 11h às 17h.

Deixe um comentário

Por favor, escreva um comentário
Por favor, escreva seu nome

EnglishPortuguese